7 Dicas para Aumentar a Imunidade no Inverno

Manter a saúde em dia para aproveitar os bons momentos da estação mais fria do ano não é fácil. Doenças como gripe, resfriado, rinite, asma e bronquite são bastante comuns nessa época do ano. Mas não se preocupe! A seguir vamos listar uma série de hábitos simples que podem ser adotados para aumentar sua imunidade no inverno e prevenir doenças.

Doenças no inverno

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a cada ano, estima-se que haja 1 bilhão de casos de gripe no mundo, dos quais de 3 a 5 milhões são casos graves, resultando em 290 mil a 650 mil mortes por doenças respiratórias em decorrência de complicações causadas pela evolução da doença.

Além das temperaturas mais baixas, o clima seco diminui a umidade do ar e provoca o aumento da concentração de poluentes na atmosfera, tornando o ambiente propício para o desenvolvimento de doenças respiratórias.

O frio do inverno também aumenta a permanência das pessoas em ambientes fechados, com pouca ou nenhuma ventilação. Bastam pequenas gotículas lançadas no ar para provocar a contaminação de pessoas localizadas nesses ambientes.

Dicas para aumentar a imunidade no inverno

1. Cuide da alimentação

O inverno é a época do ano mais propícia para ficar em casa, assistindo filmes e seriados na TV, e comendo coisas gostosas na companhia de amigos e familiares.

De fato, durante essa estação, o apetite tende a aumentar devido ao maior gasto energético para manter o corpo aquecido. E para se aquecer, nada melhor do que um delicioso chocolate quente, aquele fondue caprichado ou um bom vinho, não é mesmo?

Mas tome cuidado com sua alimentação! Uma dieta rica em nutrientes é fundamental para aumentar a imunidade no inverno, fortalecendo o organismo para combater gripes e resfriados. Para isso, aposte no consumo dos alimentos a seguir:

Sopas e chás

Com a queda da temperatura durante a noite, nada melhor do que uma sopa com verduras e legumes, como cenoura, couve, abobrinha e chuchu, ingredientes repletos de nutrientes. Caso sua receita leve carnes, opte pelas mais magras, e para engrossar o caldo da sopa substitua o creme de leite ou batatas por ingredientes mais saudáveis e menos calóricos, como a abóbora.

Preste atenção também aos acompanhamentos. Evite os queijos gordurosos e calóricos, como os amarelos, dando preferência aos brancos e suas versões light. Isso serve também para os pães, dê preferência para os integrais. Entre as delícias liberadas à vontade no inverno estão os chás. O ideal é utilizar no preparo de chás, ingredientes com propriedades terapêuticas, como:

  • Gengibre;
  • Hortelã;
  • Erva doce;
  • Canela;
  • Erva cidreira;
  • Camomila.

Fique atento as funcionalidades do chá escolhido, você pode encontrar no mercado chá emagrecedor, detox, calmante e até energizante, ou seja, além de aquecer um chazinho pode trazer muitos benefícios para sua saúde. Mas atenção na hora de adoçar seu chá, fuja do açúcar! Escolha adoçantes naturais como mel, stévia ou xilitol.

Frutas e verduras

Suas refeições durante o dia devem ser equilibradas e variadas, incluindo verduras e legumes, como couve, brócolis e espinafre, que são excelentes fontes de ferro. Este mineral é indispensável nessa época do ano, pois aumenta a produção de hemoglobina e melhora o transporte de oxigênio pelo sangue, o que fortalece o seu sistema imunológico.

A Vitamina C, presente em frutas cítricas, como laranja, limão, acerola, abacaxi e morango, e as verduras escuras, como agrião, couve, brócolis, rúcula e aspargos também são aliadas do organismo para combater os microrganismos causadores de doenças.

Além disso, o mel é um ótimo substituto para o açúcar nesta época do ano, uma vez que, além de adoçar, funciona como antibiótico natural e atua na produção de células defensoras do organismo. Cogumelos, alho e gengibre também colaboram para aumentar a formação de anticorpos e atuam diretamente para a preservação da saúde.

Por fim, alimentos ricos em betacaroteno, como cenoura, tomate, beterraba, mamão, caqui e abóbora, que contêm grandes quantidades de antioxidantes, auxiliam nosso organismo no combate à infecções causadas por microrganismos nocivos espalhados pelo ar no inverno.

2. Beba muita água

Durante o inverno não transpiramos tanto como no verão e perdemos menos líquido durante o dia, e por isso, sentimos menos sede. Porém, manter o corpo bem hidratado é fundamental para a manutenção de processos fisiológicos, aumentar a imunidade no inverno e manter o organismo funcionando corretamente para evitar as doenças típicas da estação mais fria do ano.

Beber cerca de 2 litros de água por dia também contribui para impedir o ressecamento da pele e das mucosas das vias aéreas, algo bastante comum devido ao clima seco, e que pode evoluir para feridas e rachaduras, principalmente nos lábios e no nariz.

Além disso, a pele ressecada fica mais exposta a vírus e bactérias em circulação pelo ar, sobretudo em locais fechados e com grande fluxo de pessoas, aumentando a propensão à aquisição de doenças dermatológicas, como micoses e alergias.

Para prevenir problemas como esses, tome alguns cuidados com a pele no inverno, mantendo-a sempre bem hidratada. Utilize também soro fisiológico para lubrificar as mucosas das narinas, evitando ressecamento e irritações.

3. Evite banhos muito quentes e prolongados

No inverno, nada melhor do que um banho bem quentinho para aliviar o frio, certo? Errado! A combinação de banhos com água muito quente em dias de baixa temperatura é um dos maiores vilões do sistema imunológico e contribuem para o ressecamento da pele e dos cabelos.

Como nessa época do ano a pele geralmente já fica mais ressacada, a água quente piora esse quadro, uma vez que remove sua proteção natural, chamada de manto hidrolipídico, além de aumentar o processo de desidratação da derme, provocando descamação e irritações. O vapor quente, em contato com a pele também pode ser a porta de entrada para fungos, que se multiplicam e podem provocar micoses.

Nos cabelos, o calor excessivo pode aumentar a oleosidade do couro cabeludo e provocar caspas e quedas capilares. Além disso, os cabelos ressecados pela água muito quente apresentam um aspecto opaco e sem brilho, enquanto os cabelos tingidos perdem a cor e ficam com aparência de desbotados.

Isso sem contar que sair de banhos muito quentes, e mudar bruscamente para uma temperatura muito mais baixa pode provocar um choque térmico no corpo, forçando o organismo a fazer adaptações abruptas para equilibrar essa condição.

O choque térmico provoca alterações metabólicas, pulmonares e cardiovasculares, pois é encarado pelo organismo como uma situação de estresse, aumentando a produção de hormônios sem necessidade, o que pode desencadear febre e diminuir a imunidade.

Para evitar tudo isso, opte por banhos mornos e curtos, de no máximo 10 minutos. É tempo suficiente para lavar o corpo, sem agredir sua pele, seu cabelo e correr riscos desnecessários. Antes de sair do banheiro, abra a porta e deixe o ar frio entrar para que a temperatura desse ambiente esfrie gradualmente. Aguarde cerca de 1 minuto e somente então saia do banheiro. Esta atitude irá reduzir o choque térmico.

4. Durma bem

No inverno, com a temperatura mais baixa, a sensação de uma maior necessidade de sono aumenta, não é mesmo? Mas isso é apenas impressão! Nesta época do ano o metabolismo fica mais lento e o ambiente mais quentinho favorece a inatividade.

Porém, isso não quer dizer que o organismo precise de mais horas de sono do que nas demais épocas do ano. Mesmo com as noites mais longas e os dias mais curtos, típicos do inverno, a necessidade de sono permanece a mesma de outras épocas do ano. E para aumentar a imunidade no inverno, o que realmente vale é a qualidade do sono, pois isso é primordial para o bom funcionamento do organismo.

De acordo com especialistas, quem dorme bem tem melhor qualidade de vida, sistema imunológico mais forte, menos riscos de desenvolver doenças, maior rendimento no trabalho e menores variações de humor, distúrbio que precede o estresse e a ansiedade.

Controle a temperatura ambiente

Para dormir bem no inverno, o ajuste da temperatura ambiente para obter o conforto térmico no quarto é fundamental. Além de deixar as noites mais agradáveis, facilita a respiração e evita crises respiratórias, de asma e bronquite, por exemplo.

Cobertores e edredons pesados, de lã, microfibra ou flanela também colaboram bastante para manter o corpo aquecido durante a noite. Apenas tome cuidado! Geralmente esses tipos de roupas de cama e os pijamas mais quentes passam longos períodos durante o restante do ano guardados no armário retendo pó e criando mofo, um prato cheio para desencadear doenças de inverno.

Uma dica valiosa é optar pelo uso de cobertores e pijamas antialérgicos, que não soltem pelos. Também é importante tomar cuidado com pelúcias, carpetes, tapetes e objetos que podem acumular ácaros e pós. Eles podem contribuir para o surgimento de crises respiratórias e alergias em quem sofre com esses tipos de problemas.

5. Tome sol

Não são apenas as roupas que devem tomar sol no inverno. A radiação solar é fundamental para a produção de Vitamina D pelo organismo, substância essencial para a absorção e fixação de Cálcio nos ossos.

O aumento de Vitamina D no organismo contribui para diversos outros fatores, como fortalecimento do sistema imunológico, redução do índice de infecções e controle da pressão arterial, promovendo ainda o combate de várias doenças cardíacas, esclerose múltipla, diabetes, insônia, artrite, entre outras enfermidades crônicas.

Essa vitamina também tem função neurológica importante e sua deficiência pode contribuir para distúrbios severos, como esquizofrenia e depressão. Em alguns casos, a suplementação com Vitamina D é a melhor alternativa para manter os níveis adequados desta substância no organismo!

6. Evite o estresse

O estresse é um dos maiores inimigos do organismo! Rotinas cansativas, problemas em casa ou no trabalho, sentimento de frustração, falta de tempo, entre outras preocupações, podem contribuir para desencadear esse processo bastante perigoso.

O estado de tensão até certo ponto é benéfico para o organismo, pois faz com que o organismo libere mais adrenalina e cortisol aos músculos, gerando mais energia para enfrentar situações ameaçadoras ou de perigo no dia a dia. Contudo, quando a descarga dessas substâncias se torna constante ou permanente, há um desequilíbrio que causa diversas alterações no organismo como um todo.

O cortisol liberado em grande quantidade na corrente sanguínea, desregula o sistema de defesa do organismo, diminuindo a produção de anticorpos e reduzindo a imunidade, o que abre portas para o desenvolvimento de diversas doenças, sobretudo vírus e bactérias, o que contribui para o aumento de infecções. O estresse crônico também provoca diversos outros problemas em várias partes do corpo, como:

  • Queda de cabelos;
  • Enfraquecimento das unhas;
  • Bruxismo;
  • Insônia;
  • Dores de cabeça;
  • Complicações cardiovasculares;
  • Falta de memória;
  • Envelhecimento das células.

Como reduzir o estresse?

Descansar é a melhor forma de combater o estresse e restabelecer a imunidade. Mas engana-se quem acredita que esse ‘descanso’ esteja relacionado a dormir por horas ou ficar sem fazer nada. Pelo contrário! Você precisa liberar a tensão e realizar atividades prazerosas e ao mesmo tempo relaxantes.

Para isso, praticar atividades físicas é fundamental para liberar hormônios como endorfina, serotonina, dopamina e ocitocina, relacionados ao prazer e ao bem-estar, opostos daqueles liberados em situações de estresse. Existem várias opções, como pedalar, correr, nadar, fazer yoga, pilates ou musculação.

Exercitar-se regularmente, de preferência ao ar livre, mesmo no inverno, também ajuda a eliminar toxinas através da transpiração, aumenta a capacidade pulmonar e estimula o sistema respiratório, algo bastante benéfico para quem sofre com problemas respiratórios, como asma e bronquite.

Momentos prazerosos e felizes ao lado de familiares e amigos que amamos também são extremamente recomendados e servem para descontrair e relaxar a mente. Realizar atividades recreativas que trabalhem positivamente o seu cérebro, como meditar, pintar, fazer jardinagem, dançar, assistir a uma peça de teatro ou a um filme também ajudam a combater o estresse e reduzir o estado de tensão físico e mental.

7. Utilize nutracêuticos

Outra dica para aumentar a imunidade no inverno é recorrer aos nutracêuticos, que são nutrientes, vitaminas, minerais e outros compostos capazes de promover benefícios para sua saúde. Essas substâncias são encontradas em alimentos e podem ser adquiridos isoladamente na forma de cápsulas, comprimidos ou pós.

Essas preparações farmacêuticas têm ação comprovada, não causam dependência e têm menor probabilidade de desencadear reações adversas no organismo. Existem fórmulas manipuladas com os mais variados ingredientes naturais que são indicadas para fortalecer a imunidade. Dentre os nutracêuticos voltados para o aumento da imunidade podemos destacar:

Apesar de essas fórmulas serem vendidas sem a necessidade de receita, antes de fazer uso desses produtos consulte seu médico, farmacêutico ou nutricionista para verificar sua real necessidade e analisar melhor forma de obter sucesso com esses tipos de tratamentos.

Agora que você já sabe como aumentar a imunidade no inverno, compartilhe este post em suas redes sociais e divulgue para seus amigos e familiares. Se ficou com alguma dúvida é só deixar nos comentários abaixo que teremos prazer em te ajudar!

Aproveite e leia também nosso post sobre Vitamina C e Zinco: associação para aumentar a imunidade e aprenda mais sobre esses suplementos e como eles podem contribuir para sua saúde no inverno.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: