Atualmente, grande parte da população sofre pelo mau funcionamento do intestino, e a procura por formas de prevenir e sanar esse problema cresce cada vez mais. Dentre os sintomas podemos destacar a dificuldade em evacuar, distensão abdominal, inchaço e até mal humor, devido a todo o desconforto.

Algumas mudanças simples nos hábitos alimentares podem otimizar o funcionamento do intestino. Conheça agora qual a alimentação recomendada para o bom funcionamento do intestino que podem te ajudar a cuidar de seu corpo.

A digestão começa pela boca

A digestão é a transformação dos alimentos que ingerimos, por meio de processos químicos, mecânicos e absortivos, em compostos que poderão ser incorporados ao organismo. Esse processo é bastante complexo, pois depende de diversos nutrientes e estímulos para que tudo aconteça da melhor maneira.

Mastigar bem os alimentos significa facilitar a digestão para todo o trato gastrointestinal. Funciona como um liquidificador em que todos os alimentos são misturados e viram uma pasta.

Assim, o estômago inicia facilmente a digestão com o auxílio do suco gástrico. Depois disso, os alimentos serão direcionados para o duodeno que, com suas enzimas pancreáticas e bile, emulsiona as gorduras e retira os nutrientes.

Em seguida, o bolo alimentar é direcionado ao intestino grosso, para que este absorva a água e os nutrientes necessários ao bom funcionamento do organismo.

Causas do mau funcionamento do intestino

Segundo o Centro de Cirurgia Digestiva (CCD), o funcionamento irregular do intestino pode resultar em inchaço, sensação de peso, gases e prisão de ventre.

Existem algumas doenças que podem desregular o funcionamento do intestino, como a diabetes e o hipotireoidismo. Em alguns casos, o uso de medicamentos, como os antibióticos, também é capaz de gerar desconforto, visto que atuam sobre a flora intestinal.

Ainda assim, a principal origem para esse problema se encontra em uma alimentação desequilibrada, na qual não são ingeridas fibras o suficiente. O quadro pode ser pior em casos em que a ingestão de água é reduzida e o indivíduo é sedentário. Portanto, cuide bem do seu corpo e fique atento ao que você come.

Como manter o bom funcionamento do intestino

Confira a seguir algumas dicas para melhorar sua digestão através de uma alimentação balanceada e saudável:

Consuma alimentos que forneçam enzimas digestivas

Para melhorar problemas intestinais, uma boa dica é consumir alimentos ricos em enzimas digestivas, que vão auxiliar na quebra de proteínas, carboidratos e outros nutrientes, facilitando a digestão.

Algumas fontes de alimentos que podem auxiliar durante a digestão são o mamão e o abacaxi, que possuem papaína e bromelina, respectivamente. Essas enzimas ajudam na digestão, além de serem fonte de fibras e diversos nutrientes. Além disso, a bromelina pode apresentar propriedades anti-inflamatórias.

Em alguns casos, uma boa alternativa é o consumo de enzimas digestivas na forma de suplementos. Aconselha-se, entretanto, a consulta com um médico especializado, para determinar qual a quantidade e forma correta de ingerir esses compostos. Dentre as enzimas digestivas podemos destacar:

  • Papaína;
  • Bromelina;
  • Pepsina;
  • Alfa amilase;
  • Lipase;
  • Protease;
  • Lactase.

Gorduras para o bom funcionamento do intestino

Especialmente para aqueles que lutam com a constipação, as gorduras boas (monoinsaturadas e poli-insaturadas) podem beneficiar a digestão, pois agem como lubrificantes do trato intestinal, dificultando seu ressecamento. Boas fontes de gorduras poli-insaturadas são:

  • Azeite extra virgem;
  • Salmão;
  • Atum;
  • Abacate;
  • Sardinha;
  • Anchovas;
  • Castanhas.

Em casos de constipação intestinal, aconselha-se o uso do PEG 4000 (polietilenoglicol 4000), um agente que facilita a evacuação. O PEG 4000 aumenta a quantidade de água no intestino e o conteúdo de água nas fezes, o que aumenta o volume do bolo fecal, melhora sua consistência e facilita sua eliminação.

Beba muita água

Manter-se hidratado é algo fundamental para todo o corpo, incluindo a digestão. Ingerir a quantidade adequada de água é importante para o transporte de vitaminas hidrossolúveis que participam de reações enzimáticas e tem papel fundamental no organismo.

Além disso, é de extrema importância associar o consumo de fibras ao consumo de água. Dessa forma fica garantida a hidratação do bolo fecal, o que facilita seu trânsito pelo intestino grosso.

Proteínas também dependem de água para serem digeridas, portanto, lembre-se disso sempre que consumir muita proteína em uma refeição e fique atento à hidratação.

Insira prebióticos e probióticos na dieta

Os prebióticos e os probióticos são fundamentais para uma flora intestinal saudável. Estudos têm comprovado que o intestino é o segundo cérebro do corpo humano. Há uma relação positiva entre as bactérias que habitam nosso corpo e a nossa saúde.

A microbiota intestinal é a maior comunidade de bactérias que habitam nosso organismo e tem o poder de influenciar a nossa saúde, o nosso peso, o nosso humor e até a nossa imunidade. Os prebióticos são componentes não digeríveis que servem de alimento para a população das bactérias benéficas ao funcionamento do organismo, que são os probióticos.

A inulina e a oligofrutose são bons exemplos de prebióticos e são consideradas “substâncias funcionais”, pois exercem função específica na fisiologia do intestino. Elas podem ser obtidas através do consumo de:

  • Chicória;
  • Alcachofra;
  • Batata doce;
  • Biomassa de banana verde.

Já os probióticos podem ser encontrados em alimentos como:

  • Iogurtes;
  • Kefir;
  • Coalhada;
  • Leite fermentado;
  • Chucrute;
  • Missô;
  • Pepino;
  • Molho de soja.

Prebióticos e probióticos também podem ser obtidos por meio da suplementação. O Pool de Lactobacillus, é a maneira mais simples e eficaz de fornecer os micro-organismos necessárias para a saúde da nossa flora intestinal. Sua fórmula contém um conjunto de bactérias boas associadas a uma fibra prebiótica, o Fibergum®.

Faça um prato colorido

Na hora do almoço e do jantar, não se esqueça da salada! Faça bom proveito dos legumes, verduras e frutas. A intenção é que o prato seja colorido o suficiente para garantir que você esteja consumindo as vitaminas e minerais necessários.

Sem o Zinco, por exemplo, a digestão de proteínas fica comprometida e sem o azeite para “carregar” as vitaminas lipossolúveis, se torna mais difícil o aproveitamento dessas vitaminas no organismo, e assim por diante.

Além disso, as fibras dos vegetais são essenciais na formação do bolo fecal. Caso a dieta necessite de um suplemento rico em fibras, existem no mercado diversos produtos ricos em fibras que auxiliam no bom funcionamento do intestino.

Pratique atividade física

Não é um hábito alimentar, mas ainda assim vale a pena ser mencionado por ter um papel fundamental no aumento da qualidade de vida, além de contribuir para o bom funcionamento do intestino. A prática regular de atividade física ajuda no peristaltismo, movimento que promove o avanço do bolo fecal ao longo do tubo digestivo e facilita seu processo de eliminação.

Um intestino desregulado pode comprometer o metabolismo, a imunidade e nosso bem-estar geral. Portanto, fique atento à sua dieta e preze pelo bom funcionamento do intestino para melhorar a sua qualidade de vida!

Gostou? Então compartilhe este post em suas redes sociais para que outras pessoas também saibam como manter o intestino regulado!

E se você sofre com prisão de ventre, não deixe de ler nosso post PEG 4000: um aliado no tratamento da prisão de ventre.

Os transtornos alimentares podem desencadear sérios problemas de saúde. A compulsão alimentar é um transtorno importante, caracterizado pela ingestão incontrolável de grandes quantidades de alimentos, em uma velocidade mais rápida do que a habitual.

Esse distúrbio é muito prejudicial para a saúde e exige cuidado, por isso, vamos dar 5 dicas para ajudar a manter o controle do apetite e evitar os danos da compulsão alimentar.

O que é compulsão alimentar?

A compulsão alimentar é um transtorno caracterizado pela ingestão de grandes porções de comida em um curto espaço de tempo. Durante os episódios, a pessoa sente que está sem controle da situação e, na maioria das vezes, é acometida por sentimentos de arrependimento e tristeza.

Segundo a Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS), pessoas que enfrentam a compulsão alimentar podem experimentar sentimentos de angústia, de culpa e até mesmo de auto aversão após os episódios de compulsão.

Esse distúrbio geralmente está associado a quadros de depressão, de ansiedade e de abuso de substâncias, mas não se sabe afirmar se a compulsão é a consequência desses fatores, ou se são esses fatores que desenvolvem o transtorno alimentar.

Os principais sintomas da compulsão alimentar são:

  • Comer mesmo sem estar com fome;
  • Comer para se sentir bem emocionalmente;
  • Comer muito rápido;
  • Comer sozinho ou longe das pessoas;
  • Sentir culpa por comer demais.

Quando uma pessoa apresenta alguns desses sintomas, com episódios de pelo menos duas vezes por semana, e durante seis meses seguidos, podemos dizer que ela está sofrendo de compulsão alimentar e é recomendado procurar a ajuda de um profissional.

O que causa a compulsão alimentar?

Muitas vezes, a compulsão alimentar surge pela deficiência de vitaminas e minerais causada por uma dieta desequilibrada, ou como forma de aliviar o estresse, a tristeza repentina, a ansiedade, ou outros problemas emocionais mais profundos.

A compulsão alimentar é um distúrbio com causas multifatoriais, podendo estar relacionada a fatores demográficos, socioeconômicos, genéticos, psicológicos, ambientais e individuais.

As consequências são danosas para a saúde física e psíquica. A principal consequência é a obesidade, e o desequilíbrio metabólico causado pelo excesso de peso pode comprometer o organismo, causando doenças sérias.

Como tratar a compulsão alimentar?

O tratamento multidisciplinar é o mais recomendado. Como a compulsão vem em conjunto com alterações emocionais, é interessante associar um acompanhamento psicológico ao tratamento nutricional. E dependendo do avanço da doença e o grau de obesidade (se for o caso) vale integrar também um endocrinologista.

  • Nutricionista – Vai iniciar uma reeducação alimentar com uma estratégia especial para as necessidades e gostos do paciente. 
  • Psicólogo – Vai identificar os fatores responsáveis por desenvolver o comportamento compulsivo e oferecer uma adequada terapia comportamental e apoio familiar. O papel da família nesse processo é muito importante.
  • Psiquiatra – Vai avaliar se existe alguma doença psíquica já estabelecida e se há necessidade da administração de antidepressivos.
  • Endocrinologista – Vai tratar as alterações metabólicas e iniciar um tratamento para restabelecer os níveis hormonais.

Quando o quadro de compulsão alimentar não está grave e a pessoa está apenas em uma fase compulsiva por determinado alimento, existem algumas dicas que podem ajudar a manter o controle do apetite e evitar a evolução e as complicações do distúrbio de compulsão alimentar. Separamos aqui 5 dicas:

1. Tenha uma alimentação saudável

Uma alimentação equilibrada é fundamental para manter a saúde e o bem-estar. Uma vez que a compulsão alimentar pode ser causada pela carência de determinados nutrientes, uma dieta balanceada, com aporte nutricional adequado, pode ser a solução do problema.

Com a ajuda de um nutricionista, é importante determinar uma dieta que ofereça todos os nutrientes que o corpo precisa, na quantidade certa e no momento certo do dia.

Incluir na sua dieta nutrientes que beneficiem o sistema cerebral é muito importante para ajudar a restabelecer o equilíbrio emocional. Consuma alimentos que contenham:

  • Triptofano – encontrado nas castanhas, nas nozes e na banana;
  • Magnésio – encontrado nos vegetais verde-escuros e na aveia;
  • Vitamina B6 – presente nos ovos e na aveia;
  • Ômega 3 – presente nos peixes e na linhaça.

Para iniciar sua reeducação alimentar, comece aplicando alguns passos simples e práticos que preparamos pra você no post 5 passos para uma reeducação alimentar.

2. Fracione sua alimentação

Ficar em jejum durante longos períodos pode descompensar o centro da fome e da saciedade, e então, quando você for se alimentar, é normal que tenha vontade de ingerir uma porção muito grande de comida em uma única refeição.

Os nutricionistas indicam realizar pequenos lanches, três horas após as grandes refeições: café da manhã, almoço e jantar. Comer pequenas porções de forma fracionada é fundamental para o bom funcionamento do organismo.  Assim, você oferece para o corpo:

  • Energia necessária para aguentar a rotina o dia todo;
  • Controla a fome;
  • Diminui a absorção de gordura.

Para iniciar o hábito de comer lanches ao longo do dia, dê preferência para alimentos mais práticos, que você pode trazer de casa, como as frutas e algumas sementes (castanha-do-pará, por exemplo). Dessa forma, você evita a tentação de pedir um salgadinho ou algum alimento processado de fast-food.

3. Exercícios físicos e lazer

Se exercitar e se divertir é um ponto fundamental. Se a origem da compulsão é emocional, distrair a cabeça e mexer o corpo só trarão benefícios.

O esporte pode melhorar a autoestima e o prazer de cuidar da própria imagem. Além disso, durante a atividade física, o corpo libera substâncias que nos trazem sensações de bem-estar, satisfação e prazer. Tudo aquilo que quem sofre de compulsão alimentar busca na comida.

A prática de exercícios físicos é benéfica ao tratamento de transtornos alimentares de um modo geral. Procure fazer no mínimo três vezes por semana, pelo menos 30 minutos por dia.

Procure atividades que você goste para que esse momento não seja visto como um sacrifício. Tente hidroginástica, natação, caminhada, bicicleta, pilates, dança, caminhada no bairro, ou até mesmo um passeio no parque, o importante é não ficar parado!

Leia um livro, veja um filme, saia com os amigos, compartilhe seu dia, suas conquistas e suas dificuldades. Ensine algo para alguém. Aprenda coisas novas. Ouça música, dance, sorria! Encontre prazer em outras atividades e mostre para seu corpo que a comida não é a única válvula de escape.

4. Beba chás e muita água

Algumas plantas podem ser benéficas no controle da ansiedade, que é um dos principais motivos da compulsão alimentar. Prepare chás com propriedades calmantes e relaxantes:

  • Chá de Maracujá – ajuda nos quadros de ansiedade, tensão e insônia, sendo uma ótima opção para ajudar a manter a tranquilidade;
  • Chá de Camomila – tem efeito calmante e ajuda no controle da ansiedade, do nervosismo, diminuindo a insônia e as dores de cabeça;
  • Chá de Erva-doce – é conhecido por sua ação refrescante e calmante;
  • Chá de Erva-cidreira – tem ação calmante e é uma ótima opção para diminuir a ansiedade e a insônia, além de ajudar no controle da hipertensão e da enxaqueca.

Essas plantas também são comercializadas em forma de extrato seco, e você encontra nas farmácias de manipulação diversas fórmulas em cápsulas, como a Passiflora e a Valeriana, que ajudam a diminuir o estresse, a sensação de nervosismo e a ansiedade. 

A hidratação também é fundamental para a saúde do organismo e garante um melhor desempenho de suas funções. Quando o corpo está bem hidratado podemos notar:

  • Pele viçosa;
  • Cabelos mais forte;
  • Diminuição do inchaço;
  • Controle da hipertensão;
  • Melhora da digestão;
  • Melhora da função dos rins.

Portanto, lembre-se de criar um hábito alimentar saudável e de beber bastante água ao longo do dia (no mínimo 2 litros), isso pode lhe ajudar a ter mais disposição e mais controle sobre o que você come.

Leia também nosso post: Hidratação do corpo: consumo de água e alimentos que podem ajudar.

5. Fique atento ao que você come

Faça uma avaliação dos seus hábitos alimentares e, se necessário, anote todos os dias o que você ingere. Essa técnica ajuda a perceber melhor o que está comendo com mais frequência e a que horas essa ingestão é maior, permitindo ao nutricionista elaborar um programa com alternativas de escape direcionadas para evitar o exagero desse determinado alimento.

Outra boa prática é evitar comer enquanto se realiza outra atividade. Quando isso acontece, é comum não perceber a quantidade que está sendo ingerida. Se comemos vendo uma série, por exemplo, fica difícil de controlar a quantidade, e vamos comendo durante todo o programa sem nos darmos conta, extrapolando na dose. 

Existem alguns suplementos nutricionais que podem ajudar a manter o controle do apetite. O Picolinato de Cromo é uma boa opção para auxiliar no tratamento da obesidade. Ele participa ativamente do metabolismo de carboidratos e da síntese de proteínas, além de potencializar a ação da insulina, sendo um grande aliado no controle da vontade de comer doces.

O BS Satiety é um produto natural composto por Glucomannan e Fucoxantina. O Glucomannan é uma fibra vegetal, que absorve muitas vezes o seu peso em água, formando um gel que, quando chega ao estômago, dá sensação de saciedade. Já a Fucoxantina é um composto extraído de algas marrons com ação termogênica, que transforma gordura em energia.

Evite fazer dietas muito restritivas para tentar compensar o excesso ingerido no dia anterior. Essa não é uma técnica eficaz e só trará mais ansiedade e frustrações.

A principal dica é: dê ao seu corpo os nutrientes ele precisa e pratique atividade física de forma regular e equilibrada. O importante é criar um hábito saudável que possa ser mantido por um longo período.

Você já havia pensado em aplicar algumas dessas dicas? O que você costuma fazer para controlar a compulsão alimentar? Nos deixe um comentário!

As suas unhas dizem muito mais sobre a sua saúde do que você pode imaginar. Por isso, cuidar para se ter unhas fortes e saudáveis é importante não apenas pela estética, mas também para perceber o que seu corpo pode estar alertando.

A maioria das mulheres se preocupa em manter as unhas bonitas e bem cuidadas, mas nem sempre é uma tarefa fácil. O enfraquecimento das unhas pode estar relacionado a diversos fatores, como o contato constante com produtos químicos, a deficiência de nutrientes e a falta de hidratação.

Você pode manter as suas unhas fortes e saudáveis com poucas mudanças no dia a dia. Listamos 5 ações eficazes e que contribuem para a saúde das unhas. Confira a seguir

1. Alimentação saudável

As unhas fracas, na maioria dos casos, são decorrentes de alterações e carências do organismo. As unhas são ricas em queratina e podem ser prejudicadas se o organismo estiver em desequilíbrio, o que pode ser causado por uma alimentação pobre em nutrientes.

A forma como você se alimenta reflete na sua saúde como um todo e pode afetar diretamente a aparência das suas unhas. Por isso, invista em um cardápio rico em cálcio, vitamina A, vitaminas do complexo B – principalmente a Biotina – zinco e ferro.

Portanto, coma alimentos que contenham esses nutrientes e que podem contribuir para se ter unhas fortes e saudáveis. São eles:

  • Peixes;
  • Espinafre;
  • Iogurte;
  • Carne;
  • Ovos;
  • Nozes;
  • Gergelim.

Se suas unhas estão quebradiças, descascando ou quebrando com frequência, é hora de investir em uma mudança de hábitos alimentares e até mesmo, procurar um nutricionista.

2. Higiene para se ter unhas fortes e saudáveis

As micoses e as infecções afetam a saúde e a beleza das unhas. Na maioria dos casos, esses problemas são decorrentes da falta de higiene, que apesar de básica, pode ficar de lado no dia a dia. Você também pode adquirir micoses através de objetos infectados.

Uma boa rotina de limpeza vai ajudar a manter as suas unhas fortes e saudáveis sempre. Para conseguir isso de forma simples e fácil, basta seguir os seguintes passos:

  1. Lave as unhas com água morna e sabonete neutro;
  2. Passe uma escovinha de cerdas finas embaixo das unhas, retirando toda a sujeira acumulada. Essa escova deve ser reservada somente para essa finalidade;
  3. Enxague com água morna e deixe de molho por 3 minutos;
  4. Com uma espátula apropriada, passe na região das cutículas e embaixo das unhas. Se for necessário, corte as unhas e finalize com uma lixa fina;
  5. Enxágue e seque a região com uma toalha limpa;
  6. Passe um hidratante próprio para a região (pés ou mãos) e massageie até ser completamente absorvido.

Para evitar micoses é fundamental manter as unhas longe da umidade. O Antimicótico para Unhas em solução reúne em sua fórmula compostos capazes de combater os fungos e contribuir para a renovação das unhas.

3. Compre produtos de qualidade

Assim como a pele, as suas unhas também precisam de hidratação. Aplicar uma camada de base antes do esmalte é um cuidado simples que ajuda a manter as unhas fortes. Essa camada protetora impede que as unhas desidratem, criando ainda uma película resistente à quebra.

Mas nem todas as bases são indicadas para fortalecer as unhas. Os bons produtos devem conter queratina, vitamina E e formol. Esses componentes são importantes para o fortalecimento e aumento da resistência em unhas frágeis.

A Base Fortalecedora para Unhas é composta por queratina, vitamina E e formol, dentro dos limites permitidos pela Anvisa. Esses componentes garantem resistência e fortalecem as unhas, sendo ideal para unhas fracas e quebradiças. Seu uso ainda reduz a escamação das unhas após algumas semanas de uso.

O Nutricolin® é um complexo formado pelo ácido ortossilícico estabilizado em colina, que estimula a síntese de colágeno, elastina e queratina – as conhecidas proteínas da beleza. O Nutricolin® contribui para a saúde das unhas, da pele e do cabelo.

O Pill Food possui em sua composição vitaminas, minerais e aminoácidos que contribuem para o fortalecimento de unhas e cabelos. Seu uso reduz a queda, acelerando o crescimento e deixando-os mais fortes. Contribui também para a saúde da pele, conferindo firmeza e luminosidade.

Para saber qual o produto ideal para hidratar as suas unhas, você pode buscar um profissional de confiança, como o dermatologista.

4. Atenção ao frequentar a manicure

Mulheres gostam de unhas bonitas, bem feitas, sem cutículas e com lindas cores de esmaltes. Mas isso nem sempre age de forma positiva para a saúde das unhas. Primeiro, evite a retirada completa da sua cutícula, pois ela serve para proteger a unha.

Segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), retirá-la totalmente, cria um espaço propício para a proliferação de fungos e bactérias. O correto é retirar apenas o excesso ou não a retirar, pois essa pele delicada funciona como um protetor natural, evitando que microrganismos desencadeiem doenças diversas.

Ao frequentar a manicure, leve seus próprios utensílios: alicate, lixa e espátula devem ser de uso individual. Compartilhar esses objetos pode ser um risco a saúde!

Evite o uso frequente de produtos químicos muito fortes. A acetona é um exemplo desses compostos. Ela resseca as unhas, as deixam sem brilho e com manchas brancas na superfície. Dê preferência para os removedores de esmalte.

Após o uso, lave as mãos e passe um hidratante nas unhas. Já existem diversos removedores bem menos agressivos e totalmente eficientes. Também mantenha um período de “férias” para suas unhas, mantendo-as sem esmaltes. Isso vai contribuir para que elas se fortaleçam ainda mais.

5. Proteja os pés e as mãos para manter as unhas fortes

A falta de proteção pode ser a responsável pela falta de firmeza das unhas, sendo o contato frequente com a água e produtos de limpeza, um dos principais causadores de unhas fracas e quebradiças.

Por isso, não se esqueça de usar luvas sempre que for limpar a casa e utilizar produtos de limpeza mais fortes e agressivos. O mesmo acontece se você trabalha com produtos químicos.

Para proteger as unhas dos pés é aconselhável usar sapatos abertos de em alguns momentos, pois o uso constante de sapatos fechados pressiona as unhas, podendo encravá-las. O sapato fechado aumenta a umidade e a temperatura nos pés, fatores que favorecem o surgimento de micoses.

Se utilizar sapatos totalmente fechados por longos períodos do dia, não se esqueça de usar meias e talco antisséptico. As meias fornecem uma proteção que impede que as unhas entrem em contato direto com os sapatos, enquanto o talco reduz a umidade.

Essas pequenas ações deixarão as unhas sempre protegidas e bonitas! Para um tratamento mais adequado, consulte sempre um especialista.

Gostou das dicas para se ter unhas fortes e saudáveis? Não esqueça de comentar e deixar sua opinião! Aproveite e confira também nossas dicas para aumentar a elasticidade da pele e reduzir a flacidez.

Outubro começou e o laço rosa já enfeita as mídias e todos os lugares pelo mundo! O Outubro Rosa é um movimento internacional com o objetivo de conscientizar sobre a importância das medidas de controle do câncer de mama, que é o câncer com maior taxa de mortalidade entre as mulheres.

Além do combate ao câncer de mama, muitos outros fatores estão envolvidos na promoção da saúde da mulher. Uma mulher saudável está bem fisicamente e emocionalmente. Acompanhe o post e veja quais os cuidados essenciais para a saúde da mulher, em outubro e durante todo o ano.

Saúde da mulher

A saúde da mulher é pautada na Política Nacional de Atenção Integrada à Saúde da Mulher, que traz princípios e diretrizes para a ampliação, qualificação e humanização da atenção integral à saúde da mulher no Sistema Único de Saúde.

O cuidado dispensado à mulher é pensado levando em conta toda a diversidade cultural, social, étnica, biológica e emocional da população moderna feminina.

A saúde da mulher vai além dos cuidados ginecológicos! Passa pelos cuidados com a pele, cabelos, unhas, corpo, saúde íntima e bem-estar emocional e físico.

Beleza

Cuidar da aparência e se sentir bonita eleva a autoestima da mulher. E uma mulher, quando se sente bem consigo mesma, lida melhor com as situações a sua volta, se sente forte e segura.

Separe um tempo para cuidar de você! Inclua no seu dia uma rotina da beleza. Aquele momento para você hidratar os cabelos, o corpo, passar um creme rejuvenescendor no rosto e cuidar das unhas.

Os produtos cosméticos e farmacêuticos não são os únicos que oferecem esses cuidados. Uma alimentação balanceada, com oferta suficiente de proteínas, vitaminas, gorduras e minerais, nutre os fios do cabelo, as unhas e a pele, dando uma aparência saudável, viçosa, hidratada e jovem. Não é só beleza, é saúde!

Confira nosso post Alimentos para Manter a Pele Jovem e os Cabelos Sedosos e veja como cuidar da sua beleza de dentro pra fora!

Saúde íntima

O autoconhecimento e o autoexame são importantíssimos, pois permitem que a mulher identifique possíveis alterações no seu corpo que podem levar à detecção precoce de alguma doença. Um tratamento feito de forma rápida evita futuras complicações e seus efeitos danosos para saúde da mulher.

A visita periódica ao ginecologista é fundamental. Cada ciclo de vida da mulher é marcado por características hormonais diferentes, e para cada momento, uma atenção específica é recomendada. Por isso, procure um médico de sua confiança e faça um acompanhamento.

Veja a seguir algumas das alterações mais comuns que acometem as mulheres e saiba como lidar em cada situação:

Candidíase Vaginal

A candidíase vaginal é uma infecção causada pelo fungo Candida sp., sendo a Candida albicans a mais frequente. Esse fungo pertence a flora microbiota normal do corpo, inclusive dos homens. É encontrado na pele, na boca, nos órgãos genitais e no trato gastrointestinal.

Quando a flora natural fica desequilibrada e acontece a proliferação aumentada da Candida sp., a infecção é instalada. Os principais sintomas são:

  • Coceira na vulva e na vagina;
  • Ardência e inchaço local;
  • Dor ao urinar;
  • Ardência no ato sexual;
  • Corrimento geralmente esbranquiçado e sem odor.

Associado à alteração do pH vaginal e à baixa imunidade, algumas coisas podem favorecer a proliferação do fungo:

  • Intestino preso – o acúmulo de fezes no intestino aumenta a quantidade do fungo no local, e quando acontece a evacuação, o risco de contágio do canal vaginal é grande. Por isso, muito cuidado com a limpeza da região.
  • Diabetes – como as alterações nos níveis glicêmicos comprometem a imunidade do organismo, mulheres diabéticas estão mais propensas a desenvolverem infecções genitais como a candidíase. 
  • Uso recente de antibiótico – o uso de antibiótico abaixa a imunidade e favorece um desequilíbrio da flora, propiciando a proliferação do fungo.
  • Menopausa – as alterações hormonais que ocorrem durante a menopausa causam alterações na mucosa vaginal, podendo desequilibrar a flora e facilitar o desenvolvimento da candidíase.

Cuidado redobrado no verão! Essa é a época do ano em que é mais comum a proliferação da Candida sp., por causa do calor e da umidade elevada. Então, para aproveitar o verão e não correr o risco de desenvolver candidíase, tome os seguintes cuidados:

  • Evite ficar com as roupas úmidas ou molhas por muito tempo;
  • Lave as roupas íntimas e as roupas de banho com sabão neutro;
  • Deixe as roupas íntimas secarem em local bem arejado. Só as use se estiverem completamente secas.

Para tratar a candidíase é recomendado antifúngico, que pode ser de administração oral ou vaginal.

O Candida Control é um produto inovador desenvolvido para a prevenir e auxiliar no tratamento da candidíase. Sua fórmula possui ativos capazes de equilibrar a flora bacteriana e estimular o sistema imunológico. É composto por Ácido Caprílico, Ipê Roxo, Equinácea, Vitamina C, Curcuma Longa e Magnésio. Se você sofre com a candidíase frequentemente, essa é uma boa alternativa. Caso os sintomas persistam, procure um médico.

Câncer de colo de útero

É causado pela infecção persistente do Papilomavírus Humano (HPV). É a doença sexualmente transmissível com maior incidência. Desde de 2014 o Sistema Único de Saúde (SUS) disponibiliza gratuitamente a vacina contra HPV para meninas de 9 a 14 anos de idade e para os meninos de 11 a 14 anos.

O exame Papanicolau é o método de rastreio mais indicado do câncer de colo de útero. É rápido, seguro, e permite detectar lesões precursoras da doença, o que contribui para um diagnóstico precoce. Deve ser realizado anualmente em mulheres entre 25 e 64 anos de idade, que já tenham iniciado a vida sexual.

Outros testes utilizados para diagnosticar são:

  • Exame ginecológico – o acompanhamento ginecológico é muito importante. Além de acompanhar seu histórico clínico, o médico pode realizar exames visuais e de toque, observando se toda a região genital, interna e externa, apresenta aspecto saudável.
  • Biópsia – caso sejam detectadas células anormais no exame preventivo Papanicolau, é indicado a coleta de uma a amostra de tecido para realização da biópsia, que vai dar o diagnóstico de câncer ou não.

Câncer de mama

O câncer de mama tem grande incidência entre as mulheres e é o câncer com maior taxa de mortalidade. Por isso, o Instituto Nacional do Câncer (INCA) trabalha nessa causa promovendo eventos técnicos, debates, produz materiais e disponibiliza recursos educativos para informar sobre os fatores protetores e a detecção precoce do câncer de mama.

É importante que a mulher realize o autoexame nas mamas uma vez no mês. O recomendado é fazê-lo sete dias após o início da menstruação. E se você já está na menopausa, pode escolha um dia por mês:

  • Em frente ao espelho: com os braços abaixados, observe as mamas. Coloque as mãos na cintura e depois na nuca. Fique atenta a alterações na pele e nos mamilos.
  • No chuveiro: após verificar as mamas no espelho, coloque uma mão atrás da cabeça e apalpe o seio com a outra em busca de possíveis nódulos. Verifique também a região da axila.
  • Deitada: coloque uma mão na nuca e apalme toda a mama com a outra mão fazendo movimentos circulares. Repita o processo na outra mama. Observe também a presença de secreções nos mamilos.

Caso encontre qualquer mudança no aspecto das mamas, procure imediatamente um ginecologista. A fase inicial do câncer de mama pode ser assintomática, mas com a evolução da doença, alguns sintomas podem surgir:

  • Nódulo duro na mama – podem ser notados com o toque durante o autoexame da mama. Alguns nódulos também podem aparecer próximo da axila.
  • Presença de secreção – pode ocorrer vazamento de líquido ou sangue pelos mamilos.
  • Alteração no formato ou no tamanho das mamas.
  • Aparecimento de vermelhidão, inchaço e coceira.
  • Ferida que não cicatriza e que pode causar mau cheiro.

A mamografia é o exame de rastreio indicado para mulheres entre 50 e 69 anos. Ele deve ser realizado a cada dois anos e anualmente em casos especiais. Mulheres com fatores de riscos, como histórico familiar, são orientadas a iniciar a rotina de mamografia mais jovens.

Se detectado ainda no estágio inicial, as chances de cura do câncer de mama são em torno de 88,3%, segundo o INCA. Daí a importância da rotina de autoexame e da realização de exames de rastreio.

Cuidados com o corpo

O bom funcionamento de todo nosso corpo depende do aporte adequado de nutrientes. Uma má alimentação facilita o desenvolvimento de doenças como a obesidade e o diabetes.

Essas doenças são fatores de risco preocupantes para a mulher, pois elevam o risco de doenças infeccionas como a candidíase, e outras doenças mais sérias como o câncer de mama.

Hábitos saudáveis são a melhor forma de manter a saúde e o bem-estar do corpo e da mente. Para mudar seu estilo de vida e prevenir doenças como a diabetes e a obesidade você pode seguir as seguintes recomendações:

  • Pratique atividade física, pelo menos 30 minutos por dia;
  • Faça uma reeducação alimentar;
  • Diminua o consumo de álcool;
  • Não fume;
  • Beba pelo menos 2 litros de água por dia.

Saúde Mental

Atingir um estado genuíno de bem-estar emocional não é uma tarefa fácil, mas é possível. A mulher sofre uma pressão emocional muito grande, marcada por fatores psicológicos, sociais, culturais, econômicos e ambientais.

Além das variantes hormonais, que causam alterações emocionais nas mulheres, elas ainda enfrentam uma luta constante na sociedade por espaço, valorização, além de estarem mais vulneráveis à violência doméstica, física e sexual.

O esgotamento físico e emocional pode desencadear diversas alterações fisiológicas que podem provocar diversas doenças. As mulheres são mais suscetíveis a quadros de depressão, ansiedade e transtornos alimentares.

Para te ajudar a adquirir uma mente serena, tranquila e saudável separamos as seguintes dicas:

  • Realize atividade física – os hormônios secretados durante a após os exercícios físicos dão a sensação de prazer e felicidade. Além de fortalecer os músculos você ainda cuida da mente.
  • Pratique yoga ou meditação – essas atividades reduzem o estresse, melhoram a respiração, fortalecem e alongam os músculos. Proporcionam bem-estar e deixam a mente relaxada, podendo ajudar inclusive em casos de insônia.
  • Divirta-se – procure se divertir durante suas atividades diárias. Ouça sua música preferida, dance, cante, brinque, gargalhe. Exercite sua visão para ver sempre o lado positivo das coisas e tenha esperança sempre!
  • Utilizar aromaterapia – alguns óleos essenciais tem propriedades relaxantes,  aliviando a ansiedade, diminuindo o estresse e melhorando a qualidade do sono.

Saúde na menopausa

Na menopausa ocorre a transição hormonal no organismo, e aumentam as chances do surgimento e agravamento de algumas doenças. Por isso, é uma fase da vida da mulher que merece uma atenção especial.

Durante a menopausa a mulher pode sofrer com insônia, calor excessivo, redução da libido, secura e ressecamento vaginal. O uso de suplementos naturais pode auxiliar no controle desses sintomas.

O Yam Mexicano é uma planta que pode ajudar no alívio dos sintomas da menopausa, por se assemelhar estruturalmente à progesterona. A Amora é uma planta consagrada no alívio dos sintomas da tensão pré-menstrual e da menopausa.

O Red Clover é uma planta que contém altas concentrações de isoflavonas, sendo indicada no tratamento dos sintomas da menopausa, como ondas de calor e sudorese excessiva. O Black Cohosh, também é um fitoterápico eficaz para aliviar os distúrbios da menopausa. Seu uso alivia a ansiedade, os calores, a atrofia e o ressecamento vaginal.

Em alguns casos é importante fazer uma reposição hormonal, por isso, procure seu médico e faça um acompanhamento profissional.

Não é fácil passar por todas as mudanças que a menopausa traz, mas com a suplementação correta e com acompanhamento médico é possível aliviar os sintomas da menopausa e melhorar sua qualidade de vida.

A mulher, em toda sua plenitude e complexidade, merece cuidados especiais durante todas as fases de sua vida. Que esse outubro estimule todas as mulheres a cuidarem com mais carinho do seu corpo e da sua mente!

Gostou do post? Então deixa aqui sua curtida e compartilhe esse texto com uma mulher que você adimira. Fique à vontade para nos deixar um comentário, uma dúvida ou uma sugestão! É sempre um grande prazer conversar com você!

Muita gente sofre com olheiras, manchas no rosto ou no corpo e estão sempre em busca de produtos e tratamentos para clarear e uniformizar o tom da pele. A boa notícia é que existem produtos seguros e eficazes para clarear manchas na pele.

Neste post vamos falar sobre os diferentes tipos de manchas, suas possíveis causas, como evitá-las e quais os melhores produtos para clarear a pele de forma segura e eficaz.

Causas de Manchas na Pele

A melanina é a proteína responsável por dar cor a nossa pele, o que chamamos de pigmentação constitutiva. Essa pigmentação é herdada geneticamente e não sofre interferência nenhuma da radiação solar. É nossa cor natural.

Além da função de “colorir” nossa pele, a melanina também protege o DNA das nossas células dos efeitos danosos da radiação solar. Por isso ficamos bronzeados quando expostos ao sol. É um fenômeno temporário, e a nossa cor volta à natural quando essa exposição cessa.

A melanina produzida durante a exposição solar é a melanina facultativa. Sua produção é induzida pela raios ultravioletas e tem o objetivo de proteger a pele. Apesar de o sol ser importante para nossa saúde, todo excesso é prejudicial, e os raios solares também podem ser danosos e causar doenças, como por exemplo, o câncer de pele.

As manchas ocorrem pelo excesso de melanina, desencadeado por alterações importantes durante seu processo de produção, que podem ocorrem por diversas razões. As principais causas são:

Processo inflamatório

Nesse processo, a produção de melanina é estimulada, o que gera maior pigmentação na área inflamada. Essa inflamação pode se estabelecer definitivamente na pele e gerar a mancha. Combinado com a exposição ao sol, a cor da mancha pode ser intensificada.

Exposição solar excessiva

É a mais comum e a que merece maior atenção. Os raios UVA e UVB emitidos pelo sol penetram na pele e causam os chamados efeitos agudos da radiação solar: vermelhidão, calor local, bronzeado e manchas.

Mas por terem efeito cumulativo sobre a pele, podem provocar alterações celulares importantes como o fotoenvelhecimento e até mesmo o câncer de pele. Esses são os efeitos crônicos da exposição excessiva e prolongada aos raios ultravioletas.

Tipos de Manchas na Pele

Melasma

O Melasma se caracteriza pelo surgimento de manchas escuras ou acastanhadas na pele, principalmente no rosto, na região das maçãs, buço e testa. De forma mais rara, pode aparecer nos braços, pescoço e colo.

Apesar de afetar mais as mulheres, o melasma também pode ocorrer em homens. Normalmente, o surgimento do melasma está relacionado a:

  • Fatores hormonais;
  • Predisposição genética;
  • Uso de anticoncepcionais orais;
  • Gravidez.

A exposição à luz ultravioleta e à luz visível intensificam as manchas, pois estimulam ainda mais a formação de melanina.

O Melasma não tem cura, mas existem tratamentos eficientes para melhorar o aspecto das manchas. Confira no nosso post Melasma: o que é e como tratar as principais características, causas e tratamentos.

Sardas

As sardas geralmente aparecem na infância e na adolescência, pela exposição excessiva ao sol. Pessoas ruivas e com a pele mais claras têm maior predisposição para apresentarem sardas.

São manchas geralmente pequenas, de cor castanho-claro, que podem se concentrar no rosto, ou se estenderem para o colo, braços, e restante do corpo.

Melanose solar (senil)

São aquelas manchas marrons que surgem com o envelhecimento, principalmente no dorso das mãos, nos antebraços, no colo e nas costas (regiões mais expostas ao sol).

São notadas em pessoas com mais de 40 anos, e são causadas pela exposição excessiva ao sol durante os anos.

Hiperpigmentação pós-inflamatória

São as manchas que aparecem depois de um processo inflamatório na pele. Podem variar de cor, dependendo do tipo de pele e da exposição ao sol.

Machucados, espinhas, reações alérgicas e queimaduras são alguns exemplos de processos inflamatórios que podem manchar a pele.

Olheiras

As olheiras também podem ser causadas, ou agravadas, por efeitos dos raios solares. A pele ao redor dos olhos é mais delicada do que a pele do restante do rosto.

A exposição prolongada ao sol deixa essa área mais fina e ainda mais sensível, o que contribui para intensificar o escurecimento da região. As olheiras também podem ocorrer devido à dilatação dos vasos ao redor dos olhos, provocada pela falta de sono. Isso torna a região inchada e arroxeada.

Nesses casos, o uso de cremes que contenham substâncias que estimulam a circulação, como a cafeína, podem ajudar. Ela Suaviza o inchaço na região das olheiras graças à sua ação drenante, o que melhora o aspecto de cansaço.

Como evitar as manchas na pele

Para se proteger dos raios solares e evitar as consequências da exposição prolongada ao sol, a A Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) apresenta as seguintes recomendações:

  • Evite se expor ao sol entre 11 e 16 horas, que o período de maior intensidade dos raios solares;
  • Utilize óculos de sol com proteção UV para proteger tanto a pele ao seu redor dos olhos quanto a visão;
  • Use roupas que cubram o corpo e proteja a pele da exposição ao sol;
  • Use acessórios como chapéus, bonés, viseiras, sombrinhas, a fim de diminuir o contato dos raios solares com a pele;
  • Passe filtro solar com Fator de Proteção Solar (FPS) de no mínimo 15. Se sua pele é muito sensível, opte por protetores com FPS acima de 30.

Utilize protetor solar específico para cada área do corpo. Existem fórmulas especiais para o corpo, rosto, lábios e cabelo.  É importante estabelecer o hábito de usar protetor solar ainda na infância. Consulte um médico pediatra ou um dermatologista para saber qual a fórmula mais adequada para a idade da criança.

Como tratar as machas de pele

Existem no mercado produtos seguros e eficazes para auxiliar no clareamento de manchas e na uniformização do tom da pele. Vamos falar de alguns ativos, que você encontra facilmente em farmácias de manipulação, e que são seguros e fáceis de usar em casa, na sua rotina de cuidados com a pele.

Vitamina C

A Vitamina C tem grande poder antioxidante, combate os radicais livres, diminui o envelhecimento e previne os danos causados pela radiação solar. Possui ação clareadora, diminuindo a tonalidade de manchas na pele, desde olheiras até melasmas.

Essa vitamina também estimula a síntese de colágeno e elastina, o que melhora a firmeza da pele e reduz as rugas.

Ácido Tranexâmico

O Ácido Tranexâmico previne a pigmentação induzida pelos raios ultravioleta, pois reduz a produção de melanina. É um agente que tem sido largamente estudado como alternativa para o tratamento de manchas na pele, com efeito positivo e satisfatório inclusive no tratamento de melasma. 

Bioblanc®

Bioblanc® é um extrato natural obtido da oliveira e rico em polifenóis, com ação clareadora, antioxidante, anti-inflamatória e antimicrobiana. Contém hidroxitirosol, um despigmentante moderno que age na pele sem causar ardência e irritações. 

Ácido Ferúlico

O Ácido Ferúlico é um ativo que também protege a pele dos efeitos danosos do sol. Através da redução da penetração dos raios UVA e UVB. Assim, ele reduz a vermelhidão e previne o surgimento de manchas. Possui, ainda, atividade antioxidante e anti-inflamatória.

Ácido Kójico

O Ácido Kójico é um clareador de origem natural muito utilizado para o tratamento de manchas na pele. Interfere na síntese de melanina, promovendo clareamento e prevenção de manchas, olheiras e melasmas.

Alfa Arbutin

O Alfa Arbutin é um despigmentante seguro e eficaz que minimiza as manchas já existentes e reduz o grau de bronzeamento da pele após exposição ao sol.

Nicotinamida

A Nicotinamida uma das formas da Vitamina B3, indicada para o tratamento tópico de acne leve a moderada e outras doenças inflamatórias, que podem produzir manchas na pele.

Cisteamina

A Cisteamina é um potente ativo no tratamento de desordens de hiperpigmentação da pele, como por exemplo o melasma. Ela diminui a atividade das enzimas envolvidas na produção de melanina, devolve a luminosidade da pele, deixa seu aspecto mais saudável e bonito.

Alfa Bisabolol

O Alfa Bisabolol é muito indicado no tratamento de manchas pró-inflamatórias. Possui ação anti-inflamatória e cicatrizante, que recupera o tecido e previne o surgimento de manchas na pele.

Ácido Fítico

O Ácido Fítico possui ação inibidora sobre a tirosinase, que é uma das substâncias que participa do processo de formação da melanina, que dá cor escura à pele. Por esse motivo, o uso desse ácido possui ação despigmentante e auxilia a clarear manchas na pele.

Dicas de uso

Produtos que contenham esses ativos, principalmente de forma associada, são excelentes no clareamento de manchas e na manutenção de uma pele saudável e uniforme. Seu uso protege a pele dos efeitos danosos do sol, ao mesmo tempo que agem sobre as manchas já existente, amenizado sua tonalidade.

Caso tenha alguma doença de pele, procure um profissional dermatologista para um tratamento mais profundo e completo. Para obter um resultado satisfatório, siga cuidadosamente a instrução de uso de cada produto.

Quando se faz uso de produtos que contenham agentes clareadores, é importante aplicar sempre protetor solar com FPS 30, no mínimo, lembrando de retocá-lo durante o dia.

Se o produto clareador for de uso noturno, é necessário lavar o rosto ao acordar. Em seguida, aplique o clareador para uso durante o dia e, posteriormente, o protetor solar. Por fim, aplique sua maquiagem preferida e pronto!

Uma pele bem tratada, viçosa e sem manchas eleva nossa autoestima, não é mesmo! Então, comece a cuidar da sua pele já! Cuide da sua pele antes de dormir, depois de acordar, e durante todo o dia. Manter uma rotina de cuidados com a pele traz resultados incríveis na sua beleza, saúde e bem-estar!

Gostou do post? Nos deixe um comentário e nos fale quais produtos você usa para clarear manchas na pele!

Confira também nosso post Hábitos para aumentar a elasticidade da pele e reduzir a flacidez e veja como alguns cuidados simples podem te ajudar a ter uma pele mais bonita.

Você já deve ter ouvido falar em aromaterapia e suas inúmeras aplicações e vantagens. Os óleos essenciais ganharam uma maior notoriedade nos últimos anos, mas já são amplamente utilizados por suas propriedades terapêuticas há séculos.

Saiba mais sobre a aromaterapia e conheça os benefícios dos óleos essenciais na promoção da saúde e do bem-estar.

Aromaterapia

De acordo com o Ministério da Saúde, a aromaterapia é uma prática multiprofissional, que tem sido adotada por diversos profissionais de saúde como enfermeiros, psicólogos, fisioterapeutas, médicos, veterinários, terapeutas holísticos, naturistas. É empregada nos diferentes setores da área como terapia complementar, auxiliando no restabelecimento do equilíbrio físico e emocional do indivíduo.

A aromaterapia é uma prática terapêutica do ramo da fitoterapia, baseada no uso de óleos essenciais, com a finalidade de restabelecer o equilíbrio vital do corpo. As propriedades dos óleos essenciais podem trazer resultados positivos na promoção da saúde física e mental, apresentando características anti-inflamatórias, antioxidantes, relaxantes, revitalizastes e revigorantes.

Essa ciência foi estudada, desenvolvida e aperfeiçoada com o passar dos anos, e, desde 2018, a aromaterapia já está inserida no Sistema Único de Saúde (SUS), fazendo parte das 29 modalidades terapêuticas institucionalizadas com a Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PNPIC).

A aromaterapia pode trazer efeitos positivos para nosso sistema imunológico, respiratório e emocional, aliviando quadros de:

  • Rinite, sinusite, bronquite, ou outras infecções respiratórias;
  • Problemas de pele;
  • Distúrbio digestivo;
  • Celulite;
  • Acne;
  • Dores musculares;
  • Baixa imunidade.

Óleos Essenciais

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) classifica como óleos essenciais os produtos voláteis de origem vegetal, obtidos por processos físicos, como a destilação. Podem ser extraídos de diversas partes das plantas:

  • folhas;
  • frutos;
  • caules;
  • raízes;
  • sementes.

Eles apresentam propriedades medicinais comprovadas, atuando em diversos sistemas bioquímicos do organismo, trazendo resultado físicos e mentais. Os óleo essenciais também podem ser utilizados como sanitizante e aromatizante de ambiente.

Cada óleo pode apresentar mais de 200 componentes químicos diferentes, o que justifica sua ampla aplicação terapêutica. Cada componente é identificado e classificado quimicamente, o que permite uma segurança na sua prescrição.

Para indiciar um óleo essencial para determinado fim, o prescritor leva em consideração não só seu comportamento químico e seus efeitos clínicos, mas também seus aspectos energéticos e vitalistas.

O profissional mais indicado para prescrever óleo essencial é o Aromaterapeuta. É muito importante consultar um profissional antes de usar qualquer óleo, pois muitos deles têm contraindicações para crianças, gestantes, lactantes, idosos e portadores de determinadas enfermidades.

Benefícios dos óleos essenciais

Os óleos essenciais são muito utilizados em massagens, como aromatizantes de ambientes e em tratamentos estéticos, com o objetivo de promover uma completa sensação de bem-estar. O seu uso como coadjuvante em tratamentos médicos busca:

  • Amenizar dores no corpo;
  • Melhorar a qualidade do sono;
  • Reduzir o estresse;
  • Melhorar a disposição;
  • Minimizar os sintomas de depressão.

Sistema imunológico

A ação de alguns óleos essenciais é positiva para tratar infecções e aumentar a imunidade do organismo, contribuindo para a produção e a atividade das nossas células de defesa.

O Óleo Essencial de Melaleuca é um poderoso aliado para o fortalecimento da imunidade, aliviando infecções e inflamações. Tem ação estimulante sobre o sistema imune, é anti-inflamatório, antioxidante, antisséptico, bactericida, fungicida e tem importante ação antiviral, sendo muito indicado para aliviar quadros de gripe.

Outros óleos essenciais que podem aumentar a imunidade são:

  • Óleo Essencial de Tomilho;
  • Óleo Essencial de Louro;
  • Óleo Essencial de Limão;
  • Óleo Essencial de Eucalipto.

Sistema respiratório

A aromaterapia é uma grande aliada no fortalecimento do sistema respiratório, pois favorece a troca gasosa, contribui para sua assepsia, alivia a congestão e a tosse.

O grande poder anti-inflamatório e analgésico do Óleo Essencial de Eucalipto justifica seu grande valor no tratamento de infecções do sistema respiratório. Apresenta ação antisséptica e tem baixa toxicidade, aliviando os sintomas e renovando a função respiratória.

O Óleo Essencial de Melaleuca se destaca no combate a gripe, pois inibe a replicação viral. É um grande aliado no controle dos quadros de gripe, restabelece a saúde e fortalece as defesas do corpo. Outros óleos essenciais que beneficiam o sistema respiratório são:

  • Óleo Essencial de Canela do Ceilão e Cravo;
  • Óleo Essencial de Lavanda;
  • Óleo Essencial de Hortelã;
  • Óleo Essencial de Olíbano.

Saúde mental

Os óleos essenciais estimulam várias vias neurológicas, aliviando o estresse e a ansiedade, promovendo maior controle emocional e clareza mental. O Óleo Essencial de Lavanda e o Óleo Essencial de Laranja Doce são excelentes aliados na promoção do relaxamento, aliviando a ansiedade e melhorando a qualidade do sono.

Os principais efeitos emocionais e comportamentais causados pelos óleos essenciais estão diretamente ligados aos receptores olfativos, que se conectam ao Sistema Nervoso Central e estimula alterações químicas no cérebro. Por isso os efeitos psíquicos são mais bem observados quando aplicada a aromaterapia por inalação.

Formas de uso da aromaterapia

Inalação

Quando inalado, o “aroma” do óleo essencial passa pelos canais olfativo e atinge a área cerebral responsável pelo comportamento emocional, onde são processados os sentimentos de medo, raiva, prazer, tristeza, defesa, ataque, fome, saciedade, disposição e memória.

Essa é a via mais segura e eficaz de aplicação da aromaterapia, pois produz efeitos satisfatórios com necessidade de pequenas dosagens e, consequentemente, com um menor risco de intoxicação.

A inalação permite uma absorção mais rápida dos ativos pelo organismo. É a via preferencial para tratamento de casos respiratórios, pois o contato direto com as estruturas respiratórias facilita seus efeitos.

Sabe aquele cheiro que te remete a coisas boas, te acalma e te relaxa? Então, esse é o efeito emocional que muitas vezes é desejado com a aromaterapia. A via olfativa é a mais utilizada pra promover sensações de bem-estar e felicidade. O olfato atua a nível subconsciente, estimulando nossos sentimentos, comportamentos e pensamentos.

Dica de uso

  • Pingue uma ou duas gotas de óleo essencial no canto do piso do banheiro na hora do banho, para um banho incrivelmente relaxante e revitalizante.
  • Para aromatizar o ambiente, use um aparelho aromatizador. Existem vários tipos no mercado. Dilua corretamente o óleo de acordo com as instruções do fabricante, e deixe seu cantinho mais acolhedor e revigorante. Caso não tenha aromatizador, não tem problema, você pode diluir até 100 gotas do óleo essencial em 100 mL de álcool 70% e deixe o recipiente aberto para evaporar aos poucos.

Dermatológica

É a segunda via mais importante na aromaterapia e sua aplicação proporciona cuidados da pele, estéticos, ativa a circulação, alivia dores musculares e promove relaxamento físico. O escalda-pés é uma dica muito boa para relaxar depois de um dia cansativo. Colocar os pés em um banho de água quente com Óleo Essencial de Lavanda, por exemplo, é uma ótima pedida.

Os pés possuem milhares de terminações nervosas ligadas aos diferentes órgãos do corpo e, por isso, cuidar bem deles proporciona bem-estar e alívio para todo o corpo. O escalda-pés reduz o inchaço, ativa a circulação, melhora a oxigenação do corpo, relaxa e contribui para um boa noite de sono.

Mas atenção! Os óleos essenciais não devem ser usados puros diretamente na pele, pois são altamente concentrados e podem causar irritações. Para uso tópico, deve-se diluir o óleo essencial em géis, cremes, loções, óleos vegetais ou água.

O percentual de diluição pode variar de 1% a 5%, ou seja, de 20 a 100 gotas em 100 mL. Essa concentração depende do tipo de óleo essencial utilizado, da idade, e da finalidade terapêutica. Por isso é muito importante consultar um profissional capacitado.

Dicas de uso

  • Para um escalda-pés de respeito no fim do dia, encha uma bacia com água quente até a altura dos calcanhares. Pingue 5 gotas do óleo essencial e, se quiser, pode adicionar também uma colher de sal grosso. Deixe seus pés imersos por 15 ou 20 minutos.
  • Para aliviar a angústia e ansiedade, você pode preparar um óleo massageador e massagear o tórax suavemente. Para aliviar tosses e dificuldades para respirar, faça massagens suaves nas costas. Para massagens, dilua os óleos essenciais. Pingue de 40 a 100 gotas de óleo essencial em 100 mL de óleo vegetal ou outro diluente de sua escolha. Dê preferência para os óleos vegetais. Caso for escolher cremes ou géis, opte pelos neutros, sem ativos, assim você evita possíveis interações.

Cuidados Necessários

Óleo essencial não é essência! Óleos essenciais são naturais, puros e concentrados. Diferentes das essências, que são fórmulas sintéticas. Apesar de serem naturais, os óleos essenciais são terapêuticos e devem ser usados com cautela e sobre a orientação de um profissional capacitado, pois podem ser tóxicos e provocar efeitos colaterais.

Os óleos essenciais podem promover interações medicamentosas, por isso comunique seu médico sobre o uso de aromaterapia, caso for aderir a algum tratamento de saúde.

Crianças, grávidas, lactantes, idosos e pessoas portadoras de alguma enfermidade devem sempre consultar um médico antes de realizar a aromaterapia. Deve ser evitado por pessoas que possuam sensibilidade a algum componente do óleo. Além disso, o uso oral não é recomendado.

Aromaterapia e óleos essenciais

Óleo Essencial de Laranja Doce

O Óleo Essencial de Laranja Doce possui ação antioxidante, antimicrobiana, alivia os sintomas de ansiedade, depressão e melhora a qualidade do sono. Por ser cítrico, é uma excelente opção para pele e cabelos oleosos, pois ajuda no controle da oleosidade.

Óleo Essencial de Melaleuca

O Óleo Essencial de Melaleuca, também chamado de Tea Tree, é antisséptico, antibacteriano, antifúngico e antiviral. Tem ação anti-inflamatória, calmante e cicatrizante.  Fortalece o sistema imune e contribui para a saúde da pele, cabelos e unhas.

Óleo Essencial de Lavanda

O Óleo Essencial de Lavanda tem propriedades anti-inflamatórias, cicatrizantes, analgésico e reparador celular. É antibacteriano, antifúngico e antisséptico. Alivia sintomas de estresse, ansiedade e insônia, e é excelente contra variação de humor e tensão nervosa.

A aromaterapia é um cuidado natural que traz inúmeros benefícios para nossa saúde física e bem-estar emocional. Consulte um aromaterapeuta ou outro profissional capacitado e coloque os óleos essenciais na sua rotina!

Nos deixe um comentário contando suas experiências com a aromaterapia! E você que ainda não conhecia, gostou de saber sobre as propriedades dos óleos essenciais?

E para você que sofre de insônia, preparamos um post alguns hábitos saudáveis para ter uma boa noite de sono que pode te ajudar!

Todo mundo esquece as coisas de vez em quando, e isso pode se tornar mais comum com o passar do tempo. No decorrer dos anos, algumas mudanças acontecem no corpo, mas é possível adotar alguns hábitos e cuidados para um envelhecimento ativo.

Se o esquecimento, a falta de atenção e de agilidade são um incomodo, existem algumas atitudes que podem te ajudar a ter a envelhecer com saúde. Veja as dicas que separamos a seguir:

Cuidados para um envelhecimento ativo

1. Mantenha tudo em ordem

Mantenha a ordem e a organização em casa e no trabalho pode ser um grande diferencial para se manter concentrado. Um ambiente organizado pode facilitar os estudos, aumentar o desempenho produtivo no trabalho, além de reduzir o estresse.

Outra boa dica para um envelhecimento ativo é não tentar fazer tudo ao mesmo tempo, pois assim é mais fácil se distrair. Se você se concentrar no momento e executar somente aquela atividade ou se atentar para determinada informação, elas se fixarão com mais facilidade e você se lembrará mais tarde.

A desordem pode ser um inimigo na hora de se lembrar das tarefas. Anote compromissos, deveres e eventos em uma agenda. Uma dica: quando for anotar a tarefa e o dia, leia-o em voz alta e, ao cumprir o planejado, risque.

Mantenha carteiras, chaves, celular e outros itens essenciais sempre no mesmo lugar, seja na cômoda assim que entrar em casa ou no móvel do quarto. O importante é criar um hábito que agilize as atividades do dia a dia.

2. Socialize regularmente

As interações sociais são de fundamental importância para todas as pessoas, especialmente na terceira idade. Socializar com pessoas queridas gera uma sensação de bem estar e pode levar a melhoras significativas no humor, promovendo a saúde e a qualidade de vida. A família é de fundamental importância, e a atenção e o cuidado são essenciais.

Além disso, a interação social ajuda a afastar a depressão e o estresse, fatores que contribuem para a perda de memória. Não perca as oportunidades de se reunir com amigos e familiares.

Mas é muito importante que esses momentos de socialização sejam benéficos, portanto, preze por uma conversa de qualidade e sobre assuntos agradáveis. Afaste-se de pessoas e situações que te fazem mal.

3. Exercite o cérebro

Assim como a atividade física ajuda a manter o corpo em forma, atividades que estimulem o cérebro são essenciais para manter uma mente ativa e concentrada. Há alguns anos, o médico Larry Katz, autor do livro “Mantenha seu cérebro vivo“, criou a neuróbica, conjunto de atividades que tem por foco exercitar o cérebro através dos cinco sentidos, fazendo com que o praticante preste mais atenção nas atividades rotineiras. Algumas práticas da neuróbica são:

  • Alternar o relógio de pulso de tempos em tempos;
  • Vestir-se de olhos fechados;
  • Escovar de dentes alternando as mãos;
  • Lembrar-se dos detalhes e objetos que se encontram nos lugares por onde passar;
  • Experimentar novos pratos durante as refeições.

Existe também outros hábitos que costumam ser boas atividades para exercitar o cérebro e mantê-lo ativo, concentrado e alerta. Palavras cruzadas, jornais, livros e jogos de xadrez e damas podem ajudar.

Faça rotas alternativas de caminhos habituais, aprenda a tocar um instrumento musical, tome aulas de dança e teatro ou mesmo seja voluntário em um projeto de sua cidade. Além disso, existem alguns suplementos que podem ajudar a melhorar a memória.

Suplementos para memória

A Huperzine A é um produto natural obtido da planta Huperzia serrata, utilizada há séculos na medicina chinesa. Essa planta inibe a degradação da acetilcolina, um neurotransmissor essencial para o funcionamento do cérebro. Assim, ela tem ação neuroprotetora, protegendo os neurônios e auxiliando no bom funcionamento cerebral. Seu uso auxilia no aumento da capacidade de memorização, concentração e aprendizado, que reduzem com o envelhecimento.

A Citicolina é um composto que auxilia no desempenho cognitivo, na capacidade de concentração e no foco, fatores que contribuem para a memória e o aprendizado. A Citicolina age protegendo as membranas que envolvem as células neuronais, mantendo a integridade dos neurônios e da função cerebral.

A Ginkgo Biloba é considerada a árvore da vida no Oriente graças à suas propriedades medicinais. Seu uso está associado ao combate de doenças ligadas ao envelhecimento e má circulação do sangue. A Ginkgo Biloba se mostrou eficaz para o tratamento varizes, cansaço de pernas, perda de memória e dificuldade de concentração. Tais efeitos ocorrem pelo fato dessa planta melhorar o fornecimento de sangue para órgãos vitais do corpo, entre eles o cérebro.

O FocoPLUS é uma fórmula inovadora desenvolvida para auxiliar no desempenho cognitivo e estimular a capacidade de concentração. Elaborada com Magnésio, Piracetam, Fosfatidilcolina, Fosfatidilserina e Huperzine, ela combina suplementos voltados para melhorar a memória e o aprendizado.

Consulte um profissional especializado para saber qual o produto que mais se adéqua a sua condição para ter um envelhecimento ativo e com qualidade de vida.

4. Tenha uma alimentação equilibrada

Uma alimentação saudável e variada é boa tanto para o cérebro quando para a saúde, e pode dar mais disposição para o dia a dia. Preze pelo hábito de consumir diariamente frutas, vegetais, cereais integrais e carnes magras.

Utilize suplementos a base de Ômega 3, composto de extrema importância para o organismo. Ele tem propriedades anti-inflamatórias, auxilia no funcionamento do cérebro e contribuiu para o controle do colesterol, prevenindo o surgimento de doenças cardiovasculares.

Manter o corpo hidratado também é um fator chave para o bom desempenho do organismo. Além de resultar em doenças como hipertensão, cálculos renais e até em má digestão, a desidratação em pessoas mais velhas pode levar à confusão mental e perda de memória.

5. Gerencie sua saúde

Lembre-se que a maioria dos problemas crônicos aparece em longo prazo, ou seja, após anos mantendo uma vida sedentária e com excessos na alimentação. Intestino, estômago, cérebro, coração, fígado, rins e demais órgãos trabalham em conjunto. Por isso, não descuide da sua saúde!

Realize visitas periódicas ao seu médico, faça seus exames e siga as orientações corretamente. Lembre-se de adotar uma rotina mais saudável para colher os benefícios mais tarde. Quanto mais cedo você começar a se cuidar, maior a chance de você conquistar um envelhecimento ativo.

6. Mexa-se!

A atividade física é essencial para garantir a qualidade de vida na terceira idade. A prática de exercícios melhora a circulação sanguínea, aumentando o fluxo de sangue para todo o corpo, inclusive no cérebro.

A movimentação do corpo e dos membros é essencial. O ato de andar, abaixar e levantar é imprescindível. Isso faz com que nossos músculos mantenham seu tônus. A musculação é uma excelente atividade física para fortalecer os músculos e proteger os ossos.

O sedentarismo ao longo dos anos aumenta sensivelmente a possibilidade de desenvolvimento de doenças crônicas. Assim, doenças como diabetes tipo 2, hipertensão, acidente vascular cerebral (AVC), osteoartrite e doenças respiratórias, encontram caminho fácil para se instalar. Por isso a importância da adoção de atividades físicas regulares.

7. Durma bem

O sono desempenha um papel importante na consolidação de todas as experiências que tivemos ao longo do dia. Dormir bem refresca a memória, limpa os pensamentos e melhora as conexões cerebrais, deixando-as prontas para o dia que se inicia.

Para garantir uma boa noite de sono, pratique atividades relaxantes, como o yoga, mantenha seu quarto organizado e tome um banho relaxante para aliviar as tensões. Troque a televisão e o celular por um bom livro antes de dormir, os aparelhos eletrônicos emitem luz azul, que interferem na sensação de sono.

Também é muito importante manter o ambiente escuro minutos antes da hora de dormir. Na ausência de luz, nosso corpo produz um hormônio chamado melatonina, que induz o sono.

Com essas dicas fica mais fácil ter um envelhecimento ativo e com qualidade de vida. E você, o que faz para se manter jovem e saudável? Conte pra gente nos comentários!

Aproveite e leia também um artigo em que listamos quais as vitaminas essenciais para o corpo.

Você não precisa gastar muito dinheiro em salões de beleza para obter cabelos fortes e saudáveis. Algumas mudanças simples no seu dia a dia podem contribuir para a saúde dos seus fios.

Para manter os cabelos fortes e saudáveis é necessário prestar atenção não apenas nos cuidados externos, mas também no que comemos. A suplementação de nutrientes específicos e uma alimentação equilibrada podem fazer maravilhas.

Cabelos fortes e saudáveis

Ter cabelos brilhantes é sinônimo de beleza e objeto de desejo de uma grande parcela da população. Não é de se espantar que a cada dia surja um novo produto no mercado para tratar os cabelos. Pensando nisso, separamos 5 passos para manter os cabelos fortes e saudáveis.

1. Invista em carboidratos complexos

Carboidratos refinados podem ser prejudiciais aos cabelos. Esse grupo de alimentos recebe o nome de refinados pois passam por um processo em que perdem grande parte do seu teor de fibras.

Elimine o açúcar refinado, o arroz branco e demais carboidratos simples de sua dieta e preferência aos grãos integrais. O consumo excessivo de carboidratos simples aumenta os níveis de insulina no sangue. Isso pode desequilibrar alguns hormônios, o que pode ter efeito negativo sobre os folículos capilares.

Pão integral, aveia, quinoa e demais cereais são ótimos aliados. Você notará a diferença que essa simples mudança fará. Além disso, dê preferência para produtos orgânicos, pois tem quantidades menores de toxinas que podem prejudicar a saúde dos cabelos.

2. Opte por gorduras boas

Uma dieta rica em gorduras poli e monoinsaturadas, como o Ômega 3, fornece gorduras ideais para manter os cabelos fortes e saudáveis. Fique atento aos rótulos e evite o consumo de produtos que contenham gorduras saturadas e trans. As gorduras boas podem ser encontradas em:

  • Sementes de abóbora, linhaça e girassol;
  • Castanhas;
  • Abacate;
  • Peixes como atum, salmão e sardinha;
  • Azeite de oliva extravirgem.

Mas nada de excessos! Portanto, lembre-se de manter o equilíbrio ao ingerir esse tipo de alimento. Você ainda pode utilizar óleos vegetais, como o óleo de coco, para para hidratar os cabelos. Basta aplicar o óleo mecha por mecha e deixar agir por 1h. Em seguida, lave normalmente com seu shampoo e condicionador preferidos.

3. Equilibre sua dieta

Proteínas

As proteínas são grandes aliados para manter os cabelos fortes e auxiliar no seu crescimento. A queratina é a principal proteína que faz parte da composição dos fios. A suplementação com Colágeno Hidrolisado fornece proteínas que ajudam na reconstrução e tratamento dos cabelos, restabelecendo o brilho, elasticidade e força.

Colágeno Verisol® consiste em uma combinação única de peptídeos bioativos de colágeno, obtidos a partir de um processo de quebra específica, que favorecem sua absorção e seu efeito benéfico ao organismo. Basta 2,5 gramas por dia para você perceber seus benefícios nos cabelos e na pele.  

Minerais

O Silício é um mineral que estimula a produção de colágeno, importante para a saúde de pele, cabelos, unhas, ossos e articulações. O Nutricolin® é um complexo de silício orgânico que estimula a síntese de colágeno, elastina e queratina.

O Magnésio é outro mineral fundamental para a saúde dos cabelos. Ele participa de reações enzimáticas que contribui para a força, a cor, maciez e a hidratação dos fios. O Magnésio Quelato é obtido a partir da ligação desse mineral a um aminoácido, processo que o torna mais biodisponível, ou seja, mais fácil de ser absorvido pelo organismo.

Vitaminas

As Vitaminas do Complexo B são importantíssimas na promoção de cabelos fortes. Contribui para o crescimento dos fios de forma saudável, evitando a quebra e a queda. As mais importantes para a saúde dos cabelos são:

  • Tiamina (vitamina B1);
  • Pantotenato de cálcio (ácido pantotênico ou vitamina B5);
  • Biotina (vitamina B7);
  • Ácido para-aminobenzoico (PABA ou vitamina B10).

O Pill Food, por exemplo, é um suplemento indicado para pessoas que buscam um complexos vitamínicos para complementar as necessidades do organismo, visando o fortalecimento das unhas, dos cabelos e a recuperação da elasticidade da pele.

É comum encontrarmos formulações com esses nutrientes no mercado, principalmente em Farmácias de Manipulação. Converse com seu médico ou nutricionista para avaliar como está sua alimentação e introduzir a suplementação como apoio à sua dieta.

4. Use produtos para nutrição e fortalecimento dos cabelos

Xampus, condicionares e cremes de tratamento também são aliados do cabelo saudável. Busque produtos desenvolvidos para seu tipo de cabelo.

A água muito quente, o sal do mar, o sol e o vento são inimigos dos cabelos, deixando-os fracos, desidratados, quebradiços e com um aspecto ressecado. Mas para proteger seus cabelos desses agentes agressores é bem simples e fácil:

  • Aplique leave-in nos cabelos com protetor solar;
  • Use chapéus;
  • Faça hidratação nos cabelos semanalmente;
  • Aplicar um protetor térmico antes de utilizar secador ou chapinha.

O Minoxidil atua estimulando a microcirculação em torno do folículo piloso, promovendo o crescimento capilar. É amplamente utilizado no tratamento tópico de alopecia androgênica, doença caracterizada pela perda localizada de cabelo.

A Auxina Tricógena é um produto à base de extratos naturais que age estimulando a circulação sanguínea no folículo capilar, o que aumenta o fornecimento de nutrientes importantes para o crescimento dos fios. A associação de Minoxidil com Auxina Tricógena ajuda a revitalizar a raiz dos fios e leva a uma diminuição na queda. Isso permite que os fios se fortaleçam e crescem com saúde.

5. Hidrate-se e pratique atividade física

A água é parceira em transportar as vitaminas hidrossolúveis, como as do Complexo B. Através da água, essas vitaminas e outros nutrientes essenciais para o crescimento dos cabelos, chegam aos folículos capilares.

Atividade física melhora a circulação sanguínea do corpo inteiro e é exatamente isso que o cabelo precisa para ser saudável: boa irrigação sanguínea do couro cabeludo e maior circulação de nutrientes para os fios.

Procure se exercitar pelo menos meia hora por dia e beba no mínimo 2 litros de água diariamente. Manter seu corpo bem hidratado traz benefícios não apenas para os cabelos, mas também garante um bom funcionamento do organismo. Leia mais sobre a hidratação no nosso post: Hidratação do corpo: consumo de água e alimentos que podem ajudar!

Em caso de cabelos danificados, uma ótima opção é o Capivitol – fórmula manipulada do Pantogar® – que atua estimulando o crescimento dos fios e reparando as alterações na sua estrutura. Ele trata também as alterações no crescimento e na estrutura das unhas, deixando-as mais fortes.

Gostou das dicas para se ter cabelos fortes e saudáveis? Você já aplica alguma delas no seu dia a dia? Conte para a gente!

7 dicas para emagrecer com saúde

A busca pelo corpo perfeito e uma saúde melhor faz com que homens e mulheres de todas as idades busquem alternativas para perder peso. O grande desafio é encontrar formas de emagrecer com saúde.

É fundamental ficar longe das dietas “malucas” que desregulam o organismo e podem trazer muitos danos à saúde. Pensando nisso, listamos 7 dicas simples que vão auxiliar a emagrecer com saúde. Confira a seguir!

Como emagrecer com saúde

De acordo com o Ministério da Saúde, cerca de 50% da população brasileira se encontra acima do peso e 20% dos adultos podem ser considerados obesos. Os dados alarmantes mostram a necessidade de preocupar-se com o próprio corpo, não apenas por motivos estéticos, mas também para manter uma vida saudável.

1. Faça uma reeducação alimentar

Diferente da dieta, a reeducação alimentar fará com que você coma de forma adequada por um período prolongado, e não apenas por um período. Quando se adota uma alimentação restritiva, você pode aprender a comer bem, mas provavelmente cairá na tentação do exagero logo após perder os quilinhos que tanto incomodavam. Alguns hábitos podem te ajudar:

  • Mastigar devagar;
  • Manter-se hidratado;
  • Distribuir as refeições ao longo do dia;
  • Manter o equilíbrio ao montar as refeições;
  • Comer frutas.

Para saber quais os alimentos mais indicados para o seu dia a dia, procure a ajuda de um nutricionista e veja como esse profissional pode criar uma programação alimentar dentro do que você precisa para manter uma vida saudável.

2. Reduza a inflamação do seu corpo

A obesidade é reconhecida como um estado de inflamação crônica. Estudos demonstram que pacientes com excesso de peso apresentam uma maior concentração de adipocinas pró-inflamatórias no tecido adiposo. Essas moléculas afetam diversas funções no organismo, podendo contribuir para o ganho de peso, além de estar relacionadas com doenças cardiovasculares e resistência à insulina.

Um dos primeiros passos para diminuir a inflamação do organismo é a mudança de hábitos alimentares, dando preferência a alimentos naturais, como vegetais, frutas e fibras, de preferência os orgânicos, que são livres de substâncias tóxicas. Alguns vegetais possuem em sua composição substâncias que protegem o organismo contra agentes inflamatórios e ainda auxiliam na eliminação de toxinas.

O Morosil é um extrato natural de laranja moro, rico em ativos que apresentam ação anti-inflamatória e antioxidante. Seu uso contribui para o emagrecimento, por meio da redução de adipocinas inflamatórias, que favorece a queima da gordura acumulada, principalmente na região abdominal. Além de auxiliar no emagrecimento, ele desinflama o organismo e protege contra o desenvolvimento de doenças cardiovasculares e metabólicas.

3. Consuma alimentos naturais

Os alimentos industrializados podem até trazer praticidade para nossa rotina, mas, em sua grande maioria, são prejudiciais a saúde. Frutas, verduras, legumes, ervas e cereais são alguns exemplos de alimentos naturais que deixarão sua dieta bem mais nutritiva.

Incluir mais vegetais na alimentação não precisa ser uma tarefa difícil. Existem inúmeras formas de preparar esses alimentos para agradar a todos os paladares. Mantenha o equilíbrio no dia a dia e comece aos poucos para se adaptar melhor.

O consumo de alimentos naturais na quantidade adequada, fornecem energia e proporcionam um emagrecimento saudável. Lembre-se de se consultar com um nutricionista para que ele monte um cardápio indicado para você, alinhando seus objetivos e alimentos que sejam do seu agrado.

4. Mude seu estilo de vida

Se você quer de fato emagrecer com saúde, precisa mudar muito mais do que apenas a alimentação, é necessário mudar sua rotina. Praticar atividade física é fundamental nesse processo e além de ajudar a emagrecer, ela auxilia na melhora do humor e da disposição. Uma simples caminhada de 30 minutos no final da tarde pode ser um ótimo começo.

Além da prática de atividade física, a mudança no estilo de vida também deve incluir:

  • Manter uma boa qualidade do sono;
  • Definir horários para as refeições;
  • Reduzir o consumo de bebidas alcoólicas;
  • Não fumar;
  • Evitar o estresse.

5. Cozinhe sempre que possível

Preparar a própria comida é uma ótima maneira de manter uma alimentação saudável. Quando cozinhamos, sabemos exatamente o que estamos comendo e controlamos a quantidade de sal e gordura adicionada no preparo. Além disso, preparamos apenas o que está estipulado na dieta e fugimos das tentações que os restaurantes oferecem.

Se você não tem tempo para cozinhar todos os dias, planeje o cardápio da semana e se organize. Você pode preparar uma quantidade de comida suficiente para mais de uma refeição e congelar em porções individuais. No dia anterior à refeição, retire a refeição do congelador e deixe na geladeira para descongelar com segurança.

Também é possível deixar verduras e legumes higienizados na geladeira para o consumo da semana. Basta adicionar 1 colher de sopa de água sanitária em 1 litro de água e deixá-los de molho por 15 minutos. Depois é só enxaguar com água potável, secar bem e guardar em potes no refrigerador.

6. Não passe fome

Se você está em um processo de emagrecimento e sente fome constantemente, é porque algo está errado com a sua alimentação. Se o seu organismo anda pedindo mais alimentos, reveja com seu nutricionista o tamanho das porções e os intervalos entre uma alimentação e outra.

Não siga a dieta de um amigo ou mude sua rotina por indicação de alguém sem experiência. O acompanhamento de um especialista é fundamental, pois cada corpo tem seu próprio metabolismo e funciona de forma singular.

Existem alguns suplementos que podem ajudar a reduzir o desejo por doces e tratar compulsões alimentares. O Picolinato de Cromo é um suplemento nutricional que auxilia no controle dos níveis de gordura e açúcar no sangue, além de ajudar a reduzir a compulsão por doces.

O 5-HTP (5-hidroxitriptofano) leva à produção de serotonina, que age no controle do sono, apetite e humor, considerado responsável pela sensação de bem-estar. A falta desse neurotransmissor no cérebro está intimamente associada à compulsão alimentar e ao aumento do desejo de massas e doces.

O BS Satiety é um suplemento natural composto por Glucomannan e Fucoxantina que aumenta a satisfação e diminui o apetite. O Glucomannan é uma fibra vegetal que absorve muitas vezes o seu peso em água, formando um gel no estômago que dá sensação de saciedade. Já a Fucoxantina é um composto extraído de algas marrons com ação termogênica, que transforma gordura em energia. Seu uso contribui para a redução da gordura abdominal.

7. Estabeleça metas para emagrecer com saúde

Todos temos o desejo de um corpo ideal, mas nem sempre os números com os quais tanto sonhamos são reais. Então antes de pensar quantos quilos você quer perder em um determinado intervalo de tempo, converse com um nutricionista e elabore um plano para emagrecer com saúde.

Ao estabelecer metas, lembre-se de dividir uma única grande meta em diversas etapas melhores. Dessa forma, você se sentirá mais motivado ao concluir um estágio. Não se deixe abater caso não consiga atingir uma de suas pequenas metas, pois nem sempre é possível alcançar todos os resultados esperados. Neste caso, persista!

Procure o apoio de profissionais especializados como nutricionistas, nutrólogos e educadores físicos. Com a orientação certa, será possível melhorar seu desempenho e potencializar o emagrecimento para alcançar seus objetivos de forma saudável.

Agora ficou mais fácil emagrecer com saúde? Deixe seu comentário e compartilhe esse post com seus amigos!

Aproveite e leia também sobre alimentos para melhorar o desempenho físico durante a prática de exercícios.

Você sabia que o colágeno é uma proteína que pode se tornar uma grande aliada no inverno? Durante essa época do ano, a pele necessita de cuidados especiais, já que nesse período ocorre um ressecamento maior desta parte do corpo.

Se você quer saber mais sobre o colágeno e seus benefícios para a pele no inverno, não deixe de acompanhar esse artigo!

Colágeno e seus benefícios

O colágeno está diretamente relacionado à estruturação e à firmeza da pele. Ele influencia na elasticidade, por isso, se torna importante na prevenção do aparecimento de rugas e marcas de expressão.

O aspecto de envelhecimento ocorre devido a perda da capacidade que nosso corpo possui de produzir fibras à base de colágeno e elastina, que garantem firmeza para a pele. A partir dos 30 anos de idade, a quantidade de colágeno disponível no corpo reduz, surgindo a necessidade de aumentar o consumo de alimentos ricos em colágeno ou a sua suplementação.

Além da redução natural, alguns fatores externos e hábitos ruins podem restringir ainda mais a presença de colágeno no organismo. Entre eles, podemos listar:

  • Exposição ao sol;
  • Consumo excessivo de álcool;
  • Tabagismo;
  • Alimentação rica em açúcar.

O inverno também pode contribuir para um aspecto mais envelhecido de pele devido à agressão natural do clima seco, comum dos dias frios.

A adoção de hábitos saudáveis é essencial! Ingerir alimentos ricos em colágeno e fazer a sua suplementação, podem promover diversos benefícios para a pele no inverno, auxiliando na melhora do aspecto e da saúde da pele.

O colágeno pode trazer uma série de benefícios para a pele no inverno, basta conhecer as principais fontes dessa proteína e acrescentá-las no seu dia a dia.

Fontes naturais de colágeno

O colágeno é uma proteína de fonte animal que pode ser encontrada em carnes vermelhas, frango e peixe. A reposição por meio desses alimentos deve ser feita de forma cautelosa, para não haver um consumo excessivo de calorias.

Os ovos também possuem proteínas em sua composição, especialmente na clara, portanto também contribuem com o aumento da produção de colágeno pelo organismo.

Alimentos que contém Vitamina C também beneficiam a síntese de proteínas, que depois serão transformadas em colágeno. Por isso, inclua em sua dieta:

  • Goiaba;
  • Acerola;
  • Pimentão;
  • Brócolis;
  • Salsinha;
  • Limão;
  • Kiwi;
  • Morango.

Além disso, ingerir pelo menos 2 litros de água diariamente também ajuda a manter a pele saudável, hidratada e com um aspecto jovem.

Como usar o colágeno na suplementação

Segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), é recomendado que a ingestão de colágeno seja de 10 gramas por dia. Porém, é muito difícil obter esta quantidade somente através da alimentação, portanto, a reposição desta proteína através de suplementos é uma ótima alternativa.

Os suplementos de colágeno geralmente são extraídos de ossos de animais. O ideal é realizar a suplementação com colágeno hidrolisado, que por ser quebrado em partículas menores, é absorvido pelo organismo de maneira mais fácil.

Outra opção é o Colágeno Verisol®, que consiste em uma combinação única de peptídeos bioativos de colágeno, obtidos a partir de um processo de quebra específica, que favorecem sua absorção e seu efeito benéfico ao organismo.

Por ser mais biodisponível, a quantidade diária de Colágeno Verisol® necessária é de 2,5 gramas. Ele pode ser encontrado na forma de cápsulas ou em sachê, ideal para quem tem dificuldade de engolir um grande número de cápsulas.     

Benefícios do colágeno para a pele no inverno

No período do inverno, a pele sofre com o ressecamento devido ao clima seco. Além disso, devido ao frio, tomamos banhos mais quentes que agridem a pele ainda mais.

O colágeno tem papel importante, já que mantem a pele com aspecto jovial, hidratada e resistente às variações do clima. Ou seja, você possui diversos motivos para utilizar o colágeno, especialmente em períodos de frio, quando a pele precisa de cuidados especiais. Conheça alguns benefícios do colágeno para a pele:

Hidrata a pele

O colágeno age diretamente na capacidade da pele de manter a hidratação. O consumo de alimentos ricos nessa proteína ou de suplementos a base de colágeno potencializam essa função e, consequentemente, aumentam a hidratação da pele, tão necessária no frio.

Fornece elasticidade e brilho

A elasticidade da pele está diretamente relacionada ao colágeno. Ele previne a formação de rugas e também a flacidez, comuns com a ação do tempo.

O colágeno também melhora a capacidade de regeneração da pele e aumenta seu brilho natural. Estes benefícios também são importantes nos dias frios, nos quais a opacidade se faz presente pelo clima seco.

Previne o excesso de rugas

O clima frio e seco do inverno provoca rachaduras e um ressecamento excessivo. O colágeno entra como um aliado no combate a esses problemas, trazendo a hidratação e a elasticidade mencionadas anteriormente, que evitam as rugas e fortalecem as fibras que constituem a pele.

Além dos benefícios já citados, a ingestão de colágeno aumenta a sensação de saciedade, resultando em um melhor controle do peso. Essa vantagem é especialmente importante no inverno, época em que a ingestão de alimentos calóricos aumenta. Melhor impossível!

O silício é um mineral que auxilia na produção de colágeno e elastina, fundamentais para a firmeza da pele. O Biosil® é uma importante fonte de silício orgânico, que contribui para a saúde da pele, dos cabelos, das unhas, além de ossos e articulações.

Vale ressaltar que para obter melhores efeitos na pele, a suplementação com colágeno deve estar aliada à prática de hábitos saudáveis e uma alimentação balanceada. Saiba mais no post: Hábitos para aumentar a elasticidade da pele e reduzir a flacidez.

Balancear esses cuidados com a suplementação, que deve sempre ser recomendada por um profissional capacitado, é um ótimo caminho para ter uma pele hidratada e com um aspecto saudável durante o inverno.     

Gostou do post? Deixe seu comentário! Agora você já sabe tudo sobre colágeno e seus benefícios para a pele no inverno. Por isso, não deixe de compartilhar esse post nas redes sociais para que seus amigos também aprendam mais sobre o assunto.