Compulsão Alimentar: 5 dicas para manter o controle do apetite

Os transtornos alimentares podem desencadear sérios problemas de saúde. A compulsão alimentar é um transtorno importante, caracterizado pela ingestão incontrolável de grandes quantidades de alimentos, em uma velocidade mais rápida do que a habitual.

Esse distúrbio é muito prejudicial para a saúde e exige cuidado, por isso, vamos dar 5 dicas para ajudar a manter o controle do apetite e evitar os danos da compulsão alimentar.

O que é compulsão alimentar?

A compulsão alimentar é um transtorno caracterizado pela ingestão de grandes porções de comida em um curto espaço de tempo. Durante os episódios, a pessoa sente que está sem controle da situação e, na maioria das vezes, é acometida por sentimentos de arrependimento e tristeza.

Segundo a Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS), pessoas que enfrentam a compulsão alimentar podem experimentar sentimentos de angústia, de culpa e até mesmo de auto aversão após os episódios de compulsão.

Esse distúrbio geralmente está associado a quadros de depressão, de ansiedade e de abuso de substâncias, mas não se sabe afirmar se a compulsão é a consequência desses fatores, ou se são esses fatores que desenvolvem o transtorno alimentar.

Os principais sintomas da compulsão alimentar são:

  • Comer mesmo sem estar com fome;
  • Comer para se sentir bem emocionalmente;
  • Comer muito rápido;
  • Comer sozinho ou longe das pessoas;
  • Sentir culpa por comer demais.

Quando uma pessoa apresenta alguns desses sintomas, com episódios de pelo menos duas vezes por semana, e durante seis meses seguidos, podemos dizer que ela está sofrendo de compulsão alimentar e é recomendado procurar a ajuda de um profissional.

O que causa a compulsão alimentar?

Muitas vezes, a compulsão alimentar surge pela deficiência de vitaminas e minerais causada por uma dieta desequilibrada, ou como forma de aliviar o estresse, a tristeza repentina, a ansiedade, ou outros problemas emocionais mais profundos.

A compulsão alimentar é um distúrbio com causas multifatoriais, podendo estar relacionada a fatores demográficos, socioeconômicos, genéticos, psicológicos, ambientais e individuais.

As consequências são danosas para a saúde física e psíquica. A principal consequência é a obesidade, e o desequilíbrio metabólico causado pelo excesso de peso pode comprometer o organismo, causando doenças sérias.

Como tratar a compulsão alimentar?

O tratamento multidisciplinar é o mais recomendado. Como a compulsão vem em conjunto com alterações emocionais, é interessante associar um acompanhamento psicológico ao tratamento nutricional. E dependendo do avanço da doença e o grau de obesidade (se for o caso) vale integrar também um endocrinologista.

  • Nutricionista – Vai iniciar uma reeducação alimentar com uma estratégia especial para as necessidades e gostos do paciente. 
  • Psicólogo – Vai identificar os fatores responsáveis por desenvolver o comportamento compulsivo e oferecer uma adequada terapia comportamental e apoio familiar. O papel da família nesse processo é muito importante.
  • Psiquiatra – Vai avaliar se existe alguma doença psíquica já estabelecida e se há necessidade da administração de antidepressivos.
  • Endocrinologista – Vai tratar as alterações metabólicas e iniciar um tratamento para restabelecer os níveis hormonais.

Quando o quadro de compulsão alimentar não está grave e a pessoa está apenas em uma fase compulsiva por determinado alimento, existem algumas dicas que podem ajudar a manter o controle do apetite e evitar a evolução e as complicações do distúrbio de compulsão alimentar. Separamos aqui 5 dicas:

1. Tenha uma alimentação saudável

Uma alimentação equilibrada é fundamental para manter a saúde e o bem-estar. Uma vez que a compulsão alimentar pode ser causada pela carência de determinados nutrientes, uma dieta balanceada, com aporte nutricional adequado, pode ser a solução do problema.

Com a ajuda de um nutricionista, é importante determinar uma dieta que ofereça todos os nutrientes que o corpo precisa, na quantidade certa e no momento certo do dia.

Incluir na sua dieta nutrientes que beneficiem o sistema cerebral é muito importante para ajudar a restabelecer o equilíbrio emocional. Consuma alimentos que contenham:

  • Triptofano – encontrado nas castanhas, nas nozes e na banana;
  • Magnésio – encontrado nos vegetais verde-escuros e na aveia;
  • Vitamina B6 – presente nos ovos e na aveia;
  • Ômega 3 – presente nos peixes e na linhaça.

Para iniciar sua reeducação alimentar, comece aplicando alguns passos simples e práticos que preparamos pra você no post 5 passos para uma reeducação alimentar.

2. Fracione sua alimentação

Ficar em jejum durante longos períodos pode descompensar o centro da fome e da saciedade, e então, quando você for se alimentar, é normal que tenha vontade de ingerir uma porção muito grande de comida em uma única refeição.

Os nutricionistas indicam realizar pequenos lanches, três horas após as grandes refeições: café da manhã, almoço e jantar. Comer pequenas porções de forma fracionada é fundamental para o bom funcionamento do organismo.  Assim, você oferece para o corpo:

  • Energia necessária para aguentar a rotina o dia todo;
  • Controla a fome;
  • Diminui a absorção de gordura.

Para iniciar o hábito de comer lanches ao longo do dia, dê preferência para alimentos mais práticos, que você pode trazer de casa, como as frutas e algumas sementes (castanha-do-pará, por exemplo). Dessa forma, você evita a tentação de pedir um salgadinho ou algum alimento processado de fast-food.

3. Exercícios físicos e lazer

Se exercitar e se divertir é um ponto fundamental. Se a origem da compulsão é emocional, distrair a cabeça e mexer o corpo só trarão benefícios.

O esporte pode melhorar a autoestima e o prazer de cuidar da própria imagem. Além disso, durante a atividade física, o corpo libera substâncias que nos trazem sensações de bem-estar, satisfação e prazer. Tudo aquilo que quem sofre de compulsão alimentar busca na comida.

A prática de exercícios físicos é benéfica ao tratamento de transtornos alimentares de um modo geral. Procure fazer no mínimo três vezes por semana, pelo menos 30 minutos por dia.

Procure atividades que você goste para que esse momento não seja visto como um sacrifício. Tente hidroginástica, natação, caminhada, bicicleta, pilates, dança, caminhada no bairro, ou até mesmo um passeio no parque, o importante é não ficar parado!

Leia um livro, veja um filme, saia com os amigos, compartilhe seu dia, suas conquistas e suas dificuldades. Ensine algo para alguém. Aprenda coisas novas. Ouça música, dance, sorria! Encontre prazer em outras atividades e mostre para seu corpo que a comida não é a única válvula de escape.

4. Beba chás e muita água

Algumas plantas podem ser benéficas no controle da ansiedade, que é um dos principais motivos da compulsão alimentar. Prepare chás com propriedades calmantes e relaxantes:

  • Chá de Maracujá – ajuda nos quadros de ansiedade, tensão e insônia, sendo uma ótima opção para ajudar a manter a tranquilidade;
  • Chá de Camomila – tem efeito calmante e ajuda no controle da ansiedade, do nervosismo, diminuindo a insônia e as dores de cabeça;
  • Chá de Erva-doce – é conhecido por sua ação refrescante e calmante;
  • Chá de Erva-cidreira – tem ação calmante e é uma ótima opção para diminuir a ansiedade e a insônia, além de ajudar no controle da hipertensão e da enxaqueca.

Essas plantas também são comercializadas em forma de extrato seco, e você encontra nas farmácias de manipulação diversas fórmulas em cápsulas, como a Passiflora e a Valeriana, que ajudam a diminuir o estresse, a sensação de nervosismo e a ansiedade. 

A hidratação também é fundamental para a saúde do organismo e garante um melhor desempenho de suas funções. Quando o corpo está bem hidratado podemos notar:

  • Pele viçosa;
  • Cabelos mais forte;
  • Diminuição do inchaço;
  • Controle da hipertensão;
  • Melhora da digestão;
  • Melhora da função dos rins.

Portanto, lembre-se de criar um hábito alimentar saudável e de beber bastante água ao longo do dia (no mínimo 2 litros), isso pode lhe ajudar a ter mais disposição e mais controle sobre o que você come.

Leia também nosso post: Hidratação do corpo: consumo de água e alimentos que podem ajudar.

5. Fique atento ao que você come

Faça uma avaliação dos seus hábitos alimentares e, se necessário, anote todos os dias o que você ingere. Essa técnica ajuda a perceber melhor o que está comendo com mais frequência e a que horas essa ingestão é maior, permitindo ao nutricionista elaborar um programa com alternativas de escape direcionadas para evitar o exagero desse determinado alimento.

Outra boa prática é evitar comer enquanto se realiza outra atividade. Quando isso acontece, é comum não perceber a quantidade que está sendo ingerida. Se comemos vendo uma série, por exemplo, fica difícil de controlar a quantidade, e vamos comendo durante todo o programa sem nos darmos conta, extrapolando na dose. 

Existem alguns suplementos nutricionais que podem ajudar a manter o controle do apetite. O Picolinato de Cromo é uma boa opção para auxiliar no tratamento da obesidade. Ele participa ativamente do metabolismo de carboidratos e da síntese de proteínas, além de potencializar a ação da insulina, sendo um grande aliado no controle da vontade de comer doces.

O BS Satiety é um produto natural composto por Glucomannan e Fucoxantina. O Glucomannan é uma fibra vegetal, que absorve muitas vezes o seu peso em água, formando um gel que, quando chega ao estômago, dá sensação de saciedade. Já a Fucoxantina é um composto extraído de algas marrons com ação termogênica, que transforma gordura em energia.

Evite fazer dietas muito restritivas para tentar compensar o excesso ingerido no dia anterior. Essa não é uma técnica eficaz e só trará mais ansiedade e frustrações.

A principal dica é: dê ao seu corpo os nutrientes ele precisa e pratique atividade física de forma regular e equilibrada. O importante é criar um hábito saudável que possa ser mantido por um longo período.

Você já havia pensado em aplicar algumas dessas dicas? O que você costuma fazer para controlar a compulsão alimentar? Nos deixe um comentário!

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: