A constipação intestinal é uma condição que afeta milhões de pessoas em todo o mundo, e que se resume, basicamente, à dificuldade em evacuar, sendo normalmente relacionada a fezes endurecidas, gases, inchaço e dor abdominal. No entanto, você saberia dizer o que causa prisão de ventre?

Para esclarecer, os termos constipação e prisão de ventre se referem exatamente a mesma coisa. No meio médico, um indivíduo que está constipado é aquele que possui um trânsito intestinal mais lento e evacua menos de 2 vezes na semana.

A prisão de ventre pode ser classificada em:

  • funcional (de curta duração, associada aos hábitos do indivíduo);
  • orgânica (de longa duração, ligada às alterações estruturais do organismo).

Agora vamos falar sobre os principais pontos que envolvem a constipação. Você verá o que causa prisão de ventre, os sintomas mais comuns e como tratar esse incômodo. Continue a leitura e confira!

O que causa prisão de ventre?

Em primeiro lugar, entenda que a causa da prisão de ventre pode ser originada por uma associação de diferentes fatores. Dentre os quais incluem:

  • alimentação de má qualidade: como dietas ricas em açúcares, gorduras saturadas e carboidratos refinados;
  • sedentarismo: a prática de atividades físicas contribui para o aumento do fluxo sanguíneo e o fortalecimento muscular do aparelho digestivo;
  • estresse: níveis elevados dessa condição tendem a prejudicar o funcionamento digestivo geral;
  • uso de determinados medicamentos: suplementos de ferro, antidepressivos, antiácidos e diuréticos podem estar relacionados ao surgimento da constipação;
  • problemas hormonais: como distúrbios da tireóide e diabetes;
  • insônia: a falta de sono costuma afetar o funcionamento do intestino).

Quais são os sintomas mais comuns?

No que diz respeito aos sintomas, é importante destacar que eles podem variar de acordo com cada pessoa. De um modo geral, os mais comuns são:

  • dificuldades ou dores para evacuar;
  • inchaço no abdômen;
  • gases;
  • diminuição da frequência de evacuações (menos de 2 vezes por semana).

Em alguns casos, as pessoas que estão com prisão de ventre podem passar dias sem evacuar e, quando o fazem, é comum que haja uma sensação de que o esvaziamento intestinal não foi completo.

Existem casos em que a constipação pode ocasionar o aparecimento de febre, que por sua vez poderá vir acompanhada de outros quadros, como vômitos e náuseas. Nessas circunstâncias, as dores costumam ser fortes, contudo, esses sintomas são raros.

Como tratar a prisão de ventre?

De modo breve, para tratar a prisão de ventre, a recomendação geral é:

  • caminhar pelo menos 30 minutos ao dia:  a caminhada estimula as contrações intestinais e o seu esvaziamento;
  • beber bastante água durante o dia (cerca de 2 litros): ao chegar no intestino, a água ajuda a amolecer as fezes;
  • ter uma dieta rica em fibras: as fibras ajudam a encorpar as fezes, o que facilita a sua eliminação.

Porém, nos casos em que o indivíduo esteja apresentando o problema com maior regularidade, é importante avaliar os hábitos alimentares. A dica é reduzir o consumo dos seguintes alimentos:

  • pão branco;
  • doces e biscoitos;
  • refrigerantes;
  • frituras;
  • banana.

Alimentos que reduzem a prisão de ventre

Assim como existem alimentos que podem contribuir para a constipação, há também aqueles que são positivos para o problema. Em resumo, a ideia consiste em priorizar alimentos ricos em fibras. Para evitar a prisão de ventre, uma pessoa adulta necessita em torno de 30 gramas de fibras por dia.

Assim sendo, veja abaixo quais alimentos são ricos em fibras:

  • ameixa;
  • feijão;
  • kiwi;
  • pera;
  • frutas vermelhas;
  • brócolis;
  • nozes, amendoim e castanha-do-pará;
  • cereais integrais.

Ter uma alimentação de qualidade é fundamental no que refere ao combate desse incômodo. O que ingerimos está diretamente relacionado ao funcionamento do nosso intestino.

Comprar PEG 4000

Medicamentos para a prisão de ventre

O tratamento da prisão de ventre geralmente é simples. Como acabamos de mencionar, melhorar as escolhas alimentares, aumentar o consumo de água e praticar exercícios físicos podem solucionar o problema.

No entanto, quando as dificuldades para evacuar persistirem por mais de duas semanas, ou quando não há esvaziamento completo do intestino em um período de 7 dias, mesmo com os cuidados com a alimentação, considere o uso de medicamentos.

E quais são os medicamentos? Então, esse é um aspecto que merece um pouco mais de atenção. Basicamente, os laxantes e os suplementos de fibras são as opções mais comuns.

Com os laxantes deve-se ter muito cuidado, visto que esse tipo de remédio faz com que o organismo elimine muita água, prejudicando a absorção dos nutrientes e até causando diarréias. Já o suplemento de fibras só será eficaz se a sua alimentação não estiver lhe proporcionando a quantidade ideal de fibras.

Vários fatores podem provocar o desequilíbrio da flora bacteriana intestinal como o uso de antibióticos, estresse, infecções intestinais, má alimentação e envelhecimento. Outra opção natural é o uso de Lactobacillus, que são bactérias que contribuem para o funcionamento do intestino. Seu uso reduzem processos inflamatórios, além de estimulam a produção de anticorpos.

Além disso, não poderíamos deixar de citar o PEG 4000 (Polietilenoglicol 4000), que é um polímero seguro e eficaz no tratamento da constipação intestinal em adultos e crianças. Atua por osmose, aumentando a quantidade de água no intestino, com consequente aumento do tamanho das fezes e melhora da sua consistência, para que não provoque dor no momento da sua eliminação.

Prisão de ventre na gravidez  é comum?

Durante a gravidez, a prisão de ventre é uma queixa comum. Devido às mudanças hormonais e à pressão do útero sobre o cólon, o trânsito dos alimentos pelo aparelho digestivo pode se tornar mais lento.

Por isso, é natural que a constipação atinja as gestantes com maior recorrência. Contudo, é preciso deixar claro que nesses casos, os laxantes são proibidos! Toda e qualquer mulher grávida deve consultar seu ginecologista antes de tomar qualquer medicamento.

E nos bebês?

A constipação intestinal ocorre com frequência em bebês devido a introdução de novos alimentos. Aqui, a recomendação é a mesma: procurar a ajuda de um pediatra para se informar sobre o que pode ser feito para aliviar ou eliminar os sintomas incômodos.

Aprendeu o que causa prisão de ventre? Esperamos que você tenha gostado deste artigo! Se ainda houver alguma dúvida sobre o assunto, deixe a sua pergunta nos comentários. Compartilhe com seus amigos!

emagrecimento

 


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *