Você sabe quais são os principais medicamentos naturais para aumentar a longevidade? Realmente, nossa expectativa de vida vem crescendo nas últimas décadas, influenciada por diversos fatores — entre eles, os hábitos que cada um leva no seu dia a dia.

Embora todos gostariam de viver o máximo de anos possível, ninguém quer chegar à terceira idade acometido por doenças. Por isso, faz-se necessário introduzir no cotidiano, desde cedo, costumes que previnam as doenças típicas da velhice.

Para realizar essa prevenção, existem diversos medicamentos naturais que podem ser utilizados. Então, se você deseja saber um pouco mais sobre eles, acompanhe o nosso post e descubra como conseguir uma longevidade saudável!

A busca pela longevidade saudável

A busca pela longevidade é antiga. Desde muito cedo, cientistas e estudiosos realizam pesquisas e experimentos para encontrar alimentos, nutrientes, hábitos ou o que quer que faça com que as pessoas vivam mais, e com mais saúde.

Apesar disso, muitos não seguem esses costumes e, além de não preservar a saúde, acabam sofrendo com envelhecimento precoce.

Realmente, a fórmula da juventude ainda não foi encontrada, logo, envelhecer é inevitável. Ainda assim, chegar à terceira idade com as funções físicas e mentais preservadas é possível e depende, em grande parte, do estilo de vida que cada pessoa leva.

Alguns chegam aos 80 anos com aparência e saúde de 60, outros, chegam aos 60 com funções biológicas de 80. Tudo isso é parte da vida que cada um leva. Mas, então, o que fazer para conquistar a longevidade saudável?

Existem alguns fatores determinantes que as pessoas devem adotar em suas vidas para envelhecer com saúde. Vejamos:

  • manter uma alimentação balanceada;
  • adicionar às refeições alimentos que possuem nutrientes que funcionam como medicamentos naturais;
  • praticar exercícios físicos regularmente;
  • manter o sedentarismo afastado em todas as fases da vida;
  • ingerir bebidas alcoólicas de forma moderada;
  • ter uma vida social ativa;
  • ficar afastado do cigarro e das drogas;
  • expor-se de forma protegida ao sol, e fora dos horários de maior influência dos raios ultravioleta;
  • ficar com a autoestima elevada;
  • fazer aquilo que gosta regularmente;
  • evitar o estresse no dia a dia;
  • dormir bem.

Principais medicamentos naturais para aumentar a longevidade

As vitaminas e minerais podem ser consideradas medicamentos naturais que combatem radicais livres — que causam o envelhecimento celular — e prevenir doenças crônicas, comuns àqueles que estão envelhecendo.

Manter uma dieta diversificada e com grande quantidade de alimentos antioxidantes é fundamental para a longevidade. Paralelo a isso, deve-se evitar aqueles oxidantes, que são os alimentos que contêm muita gordura, etanol ou carboidrato.

Mas, afinal, você sabe quais são esses medicamentos naturais que devem ser ingeridos? Confira, então, os principais deles:

1. Ômega 3

Os ácidos graxos ômega 3 são óleos que, apesar de importantíssimos, não são produzidos pelo corpo humano — e, por isso, precisam ser buscados na natureza. Eles trabalham conectados às nossas células nervosas, e tem como principal benefício a prevenção de doenças como Alzheimer, Parkinson e perda de memória.

Os peixes de águas profundas e geladas, como o bacalhau, o salmão e a sardinha são uma excelente fonte desse óleo, pois se alimentam de crustáceos e algas que são ricos em ômega 3.

Quanto a isso, é importante ressaltarmos que, apesar de o Brasil ser um país com uma extensa costa, os crustáceos disponíveis para os peixes se alimentarem não possuem uma alta concentração de ômega 3.

Além disso, grande parte dos peixes comercializados no Brasil é criada em cativeiro, por isso, é necessário que haja um complemento à alimentação. Nesse sentido, o óleo de côco, o ovo caipira e a linhaça são outras ótimas opções, ricas nesse nutriente.

2. Zinco

O zinco é um mineral regulador de muitas funções do nosso organismo. Ele participa da síntese proteica, ajudando a estabelecer a correta produção das células de defesa.

Como colabora diretamente com o sistema imunológico, ele fortalece o corpo contra doenças causadas por bactérias, fungos e vírus, aumentando a probabilidade de uma vida mais longa e saudável. Além disso, ainda ajuda a cicatrização de machucados a ocorrer mais rapidamente.

Em relação ao envelhecimento, o zinco combate sinais aparentes, preservando a pele e os cabelos. E aqueles que possuem bom nível desse mineral no corpo também mantém uma visão melhor.

Outro benefício diretamente ligado ao tempo de vida é a prevenção de doenças crônicas.

Bons níveis de zinco no corpo auxiliam na produção de células saudáveis, podendo prevenir alguns tipos de câncer e de doenças degenerativas. Isso ocorre porque o zinco neutraliza os radicais livres, e aumenta o número de linfócitos T, fazendo com que o sistema imunológico fique mais forte.

O sistema circulatório também é beneficiado pela presença do zinco. O mineral faz com que o tecido revestido dos vasos sanguíneos funcione corretamente, diminuindo o colesterol e o risco de doenças do coração.

Vejamos, rapidamente, ainda outros benefícios do zinco para o corpo humano:

  • ganho de massa muscular, pois atua na reprodução e reparação das células lesadas após realização de atividade física;
  • perda de peso, devido à diminuição da produção de insulina;
  • regulamentação da produção de óvulos, mantendo a fertilidade da mulher;
  • diminuição significativa nas chances de câncer de próstata, além de produção correta de testosterona;
  • regulamentação do sistema endócrino, atuando no estímulo da glândula tireóide.

Diversos alimentos naturais são fonte de zinco, como frutos do mar e as carnes vermelhas. Por esse motivo, inclusive, pessoas vegetarianas e que não comem frutos do mar podem precisar fazer suplementação deste mineral.

Também podemos encontrar zinco em:

  • castanhas, amêndoas e amendoim;
  • carne bovina, peixe e frango;
  • cereais;
  • feijão;
  • fígado de frango;
  • grãos integrais;
  • legumes;
  • ostras.

3. Colágeno

O colágeno é a proteína responsável por formar, em média, um terço do corpo humano. Sua função é estrutural: ele atua dando sustentação às células, mantendo-as unidas e evitando o aparecimento de espaços entre elas. Esses pequenos espaçamentos provocados pela falta de colágeno correspondem ao que conhecemos como rugas.

Sendo assim, é a presença de colágeno que dá a aparência jovem às pessoas. Contudo, após os 25 anos, a produção dessa proteína começa a diminuir. Depois dos 30 anos, a expectativa é que o organismo produza 1% a menos de colágeno a cada ano.

Além da função estética, o colágeno atua dando sustentação aos ligamentos e tendões, fazendo com que a musculatura e os ossos permaneçam fortemente conectados.

Esta função é importante para pessoas que buscam a longevidade, pois permite uma melhor movimentação do nosso corpo. Isto possibilita que a prática de atividades físicas possa ser realizada com um risco menor de lesões e protege o corpo de doenças como a artrose.

A principal fonte de colágeno está nos alimentos ricos em proteínas, como carnes vermelhas, peixe e frango. Além deles, vitaminas e minerais como o zinco, silício e o enxofre auxiliam na produção natural do colágeno.

Além dos medicamentos naturais, existem outras ações que previnem a perda de colágeno, como bons hábitos alimentares e a prática regular de exercícios físicos.

Por outro lado, alguns hábitos aumentam o processo de perda desse elemento, como fumar, ingerir bebidas alcoólicas e gorduras em excesso, e passar muito tempo exposto ao sol — principalmente em horários de maior incidência dos raios ultravioletas.

4. Vitamina C

Sem dúvida, o ácido ascórbico — mais conhecido como vitamina C — é um importante nutriente para quem busca viver mais. Com a função de fortalecer o sistema imunológico, medicamentos naturais que possuem essa vitamina são essenciais no combate e na prevenção de diversas doenças.

Devido à característica de oxidação, pessoas que consomem alimentos ricos em vitamina C combatem com maior frequência os radicais livres, prevenindo o envelhecimento e preservando a saúde.

Outra notável função dessa vitamina é, justamente, a de preservar o colágeno, proteína que acabamos de citar. Ela ainda facilita a absorção de ferro, mantendo afastadas algumas doenças como a anemia e melhora a circulação do sangue no organismo, prevenindo as tão temidas doenças do coração.

Sendo assim,  a vitamina C auxilia na prevenção de doenças que podem ser fatais para idosos, como gripes e infecções, o que a torna uma ótima fonte de longevidade.

Sua falta pode acarretar alguns problemas como anemia, depressão, hemorragia e o escorbuto, doença que causa sangramentos, inchaço na gengiva e na língua, dores articulares, dificuldade de cicatrizar feridas, entre outros.

Felizmente, a vitamina C pode ser encontrada em diversos alimentos comuns no dia a dia. Observe alguns:

  • morango;
  • limão;
  • laranja;
  • mamão;
  • manga;
  • kiwi;
  • goiaba;
  • suco de tomate;
  • alho;
  • cebola;
  • repolho;
  • espinafre
  • brócolis;
  • pimentão amarelo.

Contudo, atenção! Como a maioria dos alimentos que contém um nível elevado de vitamina C são frutas, verduras e legumes, é sempre indicado que se os consuma frescos e, quando possível, com casca. Os alimentos não devem, de maneira alguma, ser cozidos, pois o calor faz com que a vitamina C se desfaça.

5. Magnésio

O magnésio é um mineral presente em mais de 300 reações do organismo, por isso, sua falta é perigosa e tem diversos reflexos, como uma menor duração da expectativa da vida. Peça fundamental na saúde dos ossos e dos dentes, trabalhando na absorção de cálcio, também é essencial para o crescimento.

Uma das principais funções atribuídas ao magnésio diz respeito ao funcionamento do sistema cardiovascular. Ele é essencial para o batimento cardíaco, pois é o que gera os impulsos elétricos que ajudam o coração a manter o ritmo correto e uniforme.

Assim, pessoas que possuem quantidade insuficiente deste mineral no corpo correm o risco de desenvolver doenças do coração, como pressão alta, arritmia e colesterol e triglicerídeos elevados. Além dos problemas cardíacos, existem outras doenças que a falta de magnésio promove:

  • diabetes;
  • envelhecimento precoce;
  • osteoporose;
  • Alzheimer;
  • Parkinson;
  • artrite;
  • artrose;
  • cálculo renal;
  • fibromialgia.

Então, quem deseja aumentar a longevidade e viver muitos anos com saúde deve manter o nível adequado de magnésio no organismo. Suas principais fontes naturais são cereais, legumes, vegetais e frutas secas. Você também pode encontrá-lo nos seguintes alimentos:

  • nozes;
  • aveia;
  • grão-de-bico;
  • frutos do mar;
  • pinhão;
  • tofu;
  • feijão;
  • trigo;
  • pão integral;
  • soja;
  • espinafre.

A importância dos medicamentos naturais para suprir a necessidade de nutrientes

Até aqui, citamos diferentes nutrientes que podem agir no organismo em prol de uma vida mais saudável e longínqua. Todos eles podem ser encontrados naturalmente em alimentos.

Porém sabemos que, muitas vezes, não é possível ingeri-los na quantidade correta. Quando algum nutriente está em falta no corpo, faz-se necessária o uso de suplementos para alcançar o nível correto.

Especialmente quando falamos dos idosos, o organismo, já envelhecido, tem mais dificuldade em absorver os nutrientes e vitaminas ingeridos. Além disso, eles nem sempre conseguem mastigar alimentos com textura mais densa, como a carne, por exemplo. neste caso, se recomenda realizar a suplementação para suprir os nutrientes que se encontram em falta no corpo.

Contudo, é importante ressaltar que a suplementação não pode substituir refeições completas ou ser a única fonte de vitaminas e minerais para o organismo.

Por outro lado, muitas pessoas confundem os medicamentos naturais suplementares com anabolizantes e, por isso, têm receio de tomá-los. Mas, na verdade, esses dois compostos se diferem por completo.

A principal diferença entre eles é que os suplementos naturais são produzidos pela indústria farmacêutica por laboratórios controlados, vendidos com receita médica e indicados para as pessoas com algum problema de saúde ou falta de determinada substância, que não pode ser suprida apenas pela alimentação.

Suplementação alimentar natural

Por meio de cápsulas e medicamentos obtidos de forma natural, é possível oferecer ao organismo todos os nutrientes que ele necessita. E, para demonstrá-lo, vamos citar alguns exemplos de suplementos que podem substituir os alimentos naturais que abordamos.

Primeiramente, falaremos do ômega 3, que geralmente não consumimos em quantidade suficiente através da alimentação. Neste caso, podemos realizar sua suplementação por meio de cápsulas concentradas com óleo de peixe, óleo de chia ou óleo de linhaça.

No caso do zinco, a principal forma usada para suprir sua falta é por meio de picolinato, que tem uma taxa maior de absorção de minerais do que as outras. Já o colágeno é uma proteína grande e difícil de ser digerida e, por isso, foi desenvolvido o colágeno hidrolisado.

Nesse processo, há a quebra das moléculas de colágeno para que o organismo consiga absorvê-las facilmente. Esses suplementos podem ser consumidos em pó e, como têm um sabor neutro, podem ser tomados com sucos ou vitaminas de frutas.

Outra vantagem de utilizar o colágeno hidrolisado, é que esse nutriente é absorvido pelo corpo de forma pura, ou seja, sem as gorduras presentes nas carnes e nos outros alimentos.

Enfim, existem diversos outros medicamentos naturais que podem ser ingeridos em forma suplementar para suprir a falta de alguma vitamina importante. Manter uma alimentação correta é essencial para preservar a saúde e buscar continuamente a longevidade.

Como escolher o medicamento ideal para uma vida longa

Não basta aprender a respeito de diversos medicamentos naturais benéficos para quem está buscando uma vida longa, e não saber quais escolher ou como montar uma deita que funcione, seja ela por meio de alimentação ou suplementação.

Cada ser humano possui as suas próprias características, limitações e necessidades. Logo, a escolha dos medicamentos para aumentar a longevidade deve ser diretamente baseada no cotidiano e na vida que cada pessoa levou durante todos os seus anos de sua vida.

Aqueles que ficaram expostos ao sol com uma grande frequência, provavelmente, não necessitarão de vitamina D, por exemplo. Por outro lado, pessoas que não consomem frutas podem ter uma deficiência de vitamina C.

Sendo assim, o primeiro passo para fazer a escolha certa é consultar um médico para que ele solicite a realização de exames para verificar quais nutrientes que estão em falta no seu organismo e devem ser repostos.

A combinação de medicamentos naturais

Chamamos de sinergia alimentar a teoria que enfatiza que algumas combinações de medicamentos naturais podem ter um efeito melhor do que quando são consumidos de forma separada.

Quando comemos alguns alimentos ou suplementos na mesma refeição, os compostos presentes neles interagem entre si, e isso pode ser positivo ou negativo. Por isso, é necessário fazer a escolha certa quando se quer preservar a saúde e buscar a longevidade.

Alguns medicamentos naturais, em forma de alimento ou suplemento, funcionam melhor quando acompanhados de outros nutrientes. Outros, não podem ser ingeridos em conjunto, por terem o seu efeito cortado ou serem prejudiciais à saúde.

Nutrientes benéficos em conjunto

Um bom exemplo de alimentos que combinam bem são o arroz e o feijão. Isso porque os aminoácidos encontrados nessas duas substâncias se completam perfeitamente. Além disso, outra combinação excelente para o feijão é a laranja ou a couve.

Quando combinadas com o feijão, a vitamina C presente nesses alimentos aumenta a absorção do ferro em até 50%. É por isso que, quando alguém desenvolve anemia, muitos médicos prescrevem a alimentação de feijão combinada com a ingestão de vitamina C em forma de suplemento.

Também é interessante juntar o próprio consumo das vitaminas C e E. Em conjunto, as duas se tornam fortes para combater os radicais livres. Além disso, têm bons resultados contra o desenvolvimento de câncer, principalmente, de mama ou de pele.

Já as ervas devem ser combinadas com o azeite de oliva, que garante uma maior liberação dos seus benefícios, de forma geral.

Nutrientes maléficos em conjunto

Como têm um tempo de digestão diferente, alimentos como a batata, a massa e o pão não devem ser consumidos juntos, pois podem facilitar o aparecimento de gases.

Outra combinação que deve ser evitada é a de duas proteínas ao mesmo tempo. Afinal, cada uma delas vai ter um tempo diferente de digestão, além de exigir do suco gástrico composições diferentes, visto que cada uma tem um pH diferenciado durante a digestão.

Como reduzir a quantidade e aumentar a qualidade

Uma boa maneira de selecionar os medicamentos é investir na qualidade. Alguns alimentos, apesar de ricos em nutrientes essenciais, possuem também alguns fatores de risco associados à sua ingestão, como quantidade elevada de açúcar e gordura, por exemplo.

O corpo humano é mesmo uma máquina perfeita. E, para que continue o seu serviço e não seja atrapalhado no meio do percurso da vida, é muito importante que o seu dono — no caso, cada pessoa — adote um estilo de vida apropriado.

Salvo em alguns casos de doenças, quando uma pessoa nasce o seu organismo trabalha em equilíbrio perfeito. É durante a vida, devido às suas escolhas, que o corpo começa a apresentar problemas. E a maior parte deles, durante a velhice.

Assim, combinar medicamentos naturais essenciais ao organismo com práticas saudáveis, como a de exercícios físicos, é peça chave para o sucesso da busca pela longevidade. Além disso, é preciso estar sempre atento aos sinais que o corpo apresenta.

A prevenção é a melhor maneira de manter a saúde do corpo. Afinal, as chances de manter as doenças afastadas é muito maior quando elas são prevenidas. Combatê-las depois acaba sendo mais difícil e trabalhoso, além de apresentar resultados piores.

Então, gostou deste artigo sobre medicamentos naturais? Como vimos, existem muitas maneiras de se obter a longevidade — basta estar disposto a segui-las! Agora, aproveite para assinar a nossa newsletter e fique por dentro do universo da saúde, qualidade de vida e bem-estar!

EB1702_CTA_BLOG

Categorias: Longevidade

1 comentário

Como ter qualidade de vida na terceira idade? - BS Pharma · 19 de outubro de 2017 às 12:59

[…] modo, para essas e outras condições da terceira idade, deve ser considerada a utilização de nutrientes naturais como: vitaminas, cálcio, ômega 3, entre […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *