O que você vai ver neste artigo sobre queda de cabelo:


Homens e mulheres, podem ficar tranquilos: cair de 80 a 150 fios de cabelo por dia é normal – número insignificante comparado aos quase 150 mil que temos em todo o couro cabeludo. Acontece que algumas pessoas podem sofrer com uma queda de cabelo mais acentuada por causas diversas, e que pode afetar a autoestima ou causar preocupação. Conhecida também como Alopécia, a queda excessiva de cabelo é uma das principais preocupações estéticas da atualidade. Existem várias causas relacionadas e tratamentos específicos, que têm mais eficácia quando iniciados logo quando os fios começam a cair.

Saiba mais sobre as Principais Causas e Tipos de Queda de Cabelo

1 – Genética

A alopecia androgenética ou androgênica é um problema que pode levar à perda total ou parcial dos cabelos. Apesar de ser rara em mulheres, também pode ocorrer pelo mesmo fator hereditário. Nos homens ocorre com maior frequência, já que cerca de 15% deles herdam o gene da calvície do pai. O topo da cabeça e as laterais são as áreas mais afetadas, e o tratamento pode ser feito com suplementos, hormônios e loções, sendo o Minoxidil a opção mais utilizada para esse tipo de alopecia. A queda capilar só não pode ser revertida nos casos em que ocorre o obstrução do folículo piloso, que chegando nesse estágio não responde mais ao tratamento. Nesses casos, a única alternativa que resta é optar pelo transplante capilar realizado apenas por profissionais especializados.

2 – Alopecia areata

Caracteriza-se pela perda de cabelo em regiões delimitadas e pode atingir cerca de 1% a 2% da população, tanto homens quanto mulheres e de qualquer idade, sendo que, em até 42% dos casos, ela é hereditária. Entende-se que os genes da alopecia areata podem interagir com fatores ambientais (estresse, por exemplo) e disparar uma resposta imunológica que ataca o folículo piloso, por isso, indivíduos com tireoidites, diabetes, lúpus, vitiligo, rinites e similares, podem apresentar a perda de cabelo. O tratamento requer acompanhamento médico e geralmente é preciso fazer uso de corticoides de uso tópico.

3 – Mudanças hormonais

Mulheres costumam ser mais sensíveis a essas alterações, pois convivem com mudanças hormonais durante toda a vida: menarca, uso inconstante de pílulas anticoncepcionais, gravidez, pós-parto, alterações na tireoide e menopausa. Um endocrinologista pode solicitar exames bioquímicos e identificar a causa a fim de realizar um tratamento mais específico. No entanto, as alterações por conta da gravidez e pós-parto são temporárias, e logo se normalizam. Nesses casos, a suplementação vitamínica pode proporcionar um ótimo resultado, uma vez que a gestação demanda uma maior quantidade de nutrientes no organismo.

Nos homens, a queda ocorre em função da presença da Di-hidrotestosterona, hormônio produzido a partir da testosterona e da enzima 5-alfa redutase. Esse tipo de queda recebe o nome de Alopécia Androgênica e pode ser adquirida geneticamente ou causada por mudanças hormonais. A melhor forma de tratá-la é usando produtos que inibam a ação dessa enzima ou diminuam os efeitos causados pela Di-hidrotestosterona (DHT). Apesar desse tipo de Alopecia ser mais comum nos homens, pode ocorrer nas mulheres, já que elas também produzem testosterona, mesmo que em níveis bem menores. É importante salientar que, nesses casos, a queda está mais relacionada com a presença da enzima 5 alfa redutase do que  com a quantidade de testosterona em si, pois o que causa a atrofia dos folículos é a DHT.

Minoxidil é um vasodilatador com excelente ação no combate à queda porque consegue reverter a ação do DHT e melhorar a vascularização dos folículos. Outros ativos ainda podem ser associados à fórmula para potencializar o seu efeito e proporcionar resultados mais rápidos e duradouros. A enzima 5 alfa redutase pode ter a sua ação inibida também por ativos de uso oral. O zinco é um mineral que tem essa ação e pode ser encontrado em alguns suplementos vitamínicos específicos para o fortalecimento dos cabelos.

minoxidil

4 – Dietas rígidas, deficiência ou baixo consumo de nutrientes

Dietas muito restritivas ou pobres em fontes de vitaminas e minerais podem, sim, desencadear a queda de cabelos. Os folículos pilosos demandam grande quantidade de minerais, como o zinco e ferro, para crescer. Já as vitaminas se encarregam de fortalecer as estruturas capilares. Por isso, um suplemento vitamínico, que contenha a associação de diversos nutrientes em quantidades diárias recomendáveis, pode auxiliar na redução da queda e ainda estimular o crescimento saudável dos fios.

5 – Anemia

A deficiência de ferro pode ser causada por descontrole hormonal, inflamações, infecções ou mesmo carência nutricional, como citado acima. Além de sintomas como cansaço, dor de cabeça e fraqueza, a falta de ferro pode comprometer a produção de cabelo e fragilizar os fios existentes. O ideal é suplementar com polivitamínicos que apresentem em sua composição ferro, vitamina C e as do Complexo B.

6 – Estresse

O estresse faz com que o organismo necessite de mais nutrientes do que o normal, mobilizando as reservas destinadas a outras partes do corpo. Além disso, nessas situações há maior produção de cortisol, hormônio que reduz a produção dos fios nos folículos. O aumento do estresse eleva a demanda desses nutrientes no sistema imunológico e causa uma deficiência no couro cabeludo. Suplementos contendo minerais e vitaminas conseguem equilibrar essa deficiência e controlar os níveis de cortisol.

7 – Secador, chapinha e produtos químicos

Cuidar da aparência é importante, mas algumas pessoas podem ter uma fragilidade maior quanto ao uso de secadores, chapinhas e quando a aplicação de produtos químicos torna-se frequente. A recomendação é usar os aparelhos ocasionalmente e hidratar os fios após a aplicação de tinturas. Esses procedimentos implicam na perda da queratina, proteína fundamental para a manutenção da força e tração dos fios. A falta dela deixa os cabelos sem vitalidade e quebradiços, mas a queratina pode ser reposta com aplicações capilares ou com a suplementação.

8 – Micoses

Quando acometem o couro cabeludo, elas podem causar queda de cabelo localizada, com descamações. Um dermatologista é capaz de analisar e definir o fungo causador após um exame de biópsia. Banhos quentes, excesso de suor e contato direto com o fungo são algumas das causas.

9 – Medicamentos

Quimioterapia é o tratamento mais conhecido por causar queda de cabelo. No entanto, remédios para artrite, depressão, problemas cardíacos e pressão alta também podem agravar o problema. Converse com seu médico sobre esse efeito colateral.

10 – Envelhecimento

Quando envelhecemos, o fio do cabelo torna-se mais fraco por conta da diminuição da espessura do couro cabeludo e a quantidade menor de nutrientes no local. Com a idade, também aumentamos a produção de radicais livres que causam o envelhecimento do organismo, e diminuímos a absorção de nutrientes importantes para a composição dos fios capilares. Nessa fase é importante complementar a alimentação com suplementos contendo Vitaminas, Minerais e Antioxidantes.

Independentemente da causa, sempre procure um profissional que possa lhe ajudar a amenizar a queda de cabelos. Dermatologistas, endocrinologistas e nutricionistas são os mais indicados para prescrever os tratamentos de acordo com o seu quadro.

5 hábitos para manter os cabelos mais fortes e saudáveis

Muitos fatores podem influenciar na saúde do seu cabelo, inclusive os produtos utilizados para lavá-los e os alimentos que você ingere todos os dias. Não é necessário gastar muito dinheiro em salões de beleza para obter cabelos fortes e brilhantes. Ao fazer algumas mudanças simples, você notará a diferença, e não só nos fios, como na pele e unhas.

Nosso organismo não fabrica todas as substâncias que precisamos, e por isso é importante fornecê-las com uma alimentação regrada e equilibrada, além de contar com uma suplementação de nutrientes específicos.

Passo 1 – Diminua o consumo de carboidratos refinados e consuma mais fibras

Remova o açúcar e demais carboidratos refinados e dê preferência aos integrais. Os primeiros podem servir de alimento para fungos presentes no intestino, que vão aumentar sua concentração e cair na circulação sanguínea, indo parar, possivelmente, no couro cabeludo.

Pão e macarrão integral de boa qualidade, aveia e demais cereais são bons aliados. Você notará a diferença que essa simples mudança traz. Além disso, quando consumir vegetais, escolha os orgânicos, pois são reduzidos em toxinas que podem detonar os cabelos.

Passo 2 – Aumente a ingestão de gorduras saudáveis

Opte sempre pelas gorduras poli e monoinsaturadas das sementes de abóbora, linhaça, girassol, castanhas, peixes e azeite de oliva extravirgem. Diferente das gorduras saturadas e trans, esses alimentos fornecem a quantidade adequada de ômega 3 e 6, tipos de gordura ideais para manter os cabelos hidratados. Há no mercado, suplementos a base de Óleo de Peixe, rico em Ômega 3 e Ômega 6, o ideal é optar um produto de boa qualidade em que a quantidade de Ômega 3 seja superior a quantidade de Ômega 6, prevalecendo o seu efeito antioxidante e antiinflamatório. (Ômega Pure)

Passo 3 – Utilize nutrientes e produtos específicos

Nesse quesito, as vitaminas do complexo B ganham destaque para promover o fortalecimento dos cabelos. É interessante notar que elas são chamadas de complexo, pois normalmente atuam juntas, uma auxiliando a outra na absorção. São elas: biotina, tiamina (vitamina B1), pantotenato de cálcio (ácido pantotênico ou vitamina B5) e ácido para-aminobenzoico (PABA ou vitamina B10). Uma proteína e um aminoácido são amplamente utilizados para promover o crescimento capilar por fazerem parte da composição dos fios: a queratina e a cistina. É comum encontrar formulações com esses nutrientes, principalmente em farmácia de manipulação. Você pode conversar com seu nutricionista ou médico para avaliar como está sua alimentação e introduzir a suplementação como apoio.

Passo 4 – Escolha o produto certo para o seu tipo de cabelo

Xampus, condicionares e cremes de tratamento também são aliados do cabelo saudável. Busque produtos desenvolvidos para seu tipo de fio e certifique-se de retirá-los por completo durante o banho, para não deixar resíduos.

Água muito quente, o sal do mar e o sol são inimigos dos cabelos. Proteja-os com água morna a fria e usando bonés e produtos capilares durante a exposição ao ar livre.

Passo 5 – Hidratação e movimento

Atividade física melhora a circulação do corpo inteiro e é exatamente isso que o cabelo precisa para ser saudável: boa irrigação sanguínea do couro cabeludo e maior circulação de nutrientes para os fios. A água é parceira em transportar as vitaminas hidrossolúveis, como as do complexo B, e hidratar as células.

Exercite-se meia hora por dia e beba muito água (pelo menos 1,5L), principalmente em épocas muito quentes. Será visível a mudança no brilho e saúde dos seus cabelos!

Você já faz todos esses cuidados acima e ainda assim os seus fios caem sem controle? É o momento, então, de buscar ajuda médica. Somente um profissional saberá analisar seu couro cabeludo e prescrever o tratamento mais indicado para seu caso. Procure um dermatologista de sua confiança e siga o tratamento conforme indicado.

Conheça os produtos da BS Pharma para tratar e evitar a queda de cabelo. → Clique aqui!

Gostou das dicas para ter cabelos mais saudáveis? Qual delas você já aplica na sua rotina? Conte para a gente!


3 comentários

omega 3 · 27 de dezembro de 2016 às 12:46

Exelente artigo, omega 3 é de fato muito importante para a manutenção da saúde. Abraço

    Douglas Fabris · 28 de dezembro de 2016 às 14:00

    Olá! Sim, muito importante. Obrigado pelo comentário e por acompanhar nosso Blog. Se tiver alguma dúvida não hesite em deixar mais comentários! Abraço 😀

    Fernanda Sathler · 21 de março de 2017 às 18:16

    Olá! Sim, muito importante. Obrigado pelo comentário e por acompanhar nosso Blog. Se tiver alguma dúvida não hesite em deixar mais comentários! Abraço 😀

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *