Se você não pode ingerir açúcar por ser diabético ou até se está tentando perder alguns quilos, os adoçantes podem ser seus aliados. A dificuldade maior está em saber qual comprar. Em qualquer supermercado há vários tipos de adoçantes de nomes diferentes. Mas qual escolher?

É importante que você tenha informações básicas sobre cada um deles e, assim, consiga decidir qual é o melhor para você. Confira nossa lista de adoçantes e entenda tudo sobre eles.

Conheça os adoçantes existentes

Sucralose

É um dos mais comuns dentre os facilmente encontrados em supermercados. Ele vem da sacarose, mas consegue ser 600 vezes mais doce do que ela. O problema é que este adoçante impede a captação do iodo pela tireoide devido ao cloro existente em sua composição. Por isso, não deve ser consumido por quem tem problema na tireoide, a não ser com consentimento médico.

Steviosídeo

Este adoçante é comum, mas acaba sendo consumido em menor quantidade pelo seu valor mais alto. Ele é “apenas” 300 vazes mais doce do que a sacarose, o que faz com que as pessoas que consomem a sucralose e passem a usar os steviosídeos possam estranhar o fato de ele “adoçar menos”.

Como não é metabolizado pelo organismo não tem caloria. Além disso, não deixa aquele gosto amargo na boca quando consumido. É extraído das folhas de estevia e o seu consumo é sem contraindicação. Ingestão diária aceitável: 5,5 mg/kg de peso corporal.

Ciclamato

É cerca de 30 vezes mais doce que a sacarose e não deve ser consumido por quem é hipertenso. Não é metabolizado pelo organismo e é um dos mais populares.

Sacarina

Você sabia que a sacarina é derivada do petróleo? Muito doce, chega a ser até 700 vezes mais doce do que a sacarose. Porém, tem um sabor residual amargo e por isso é, muitas vezes, misturada ao ciclamato.

O problema da sacarina é que ela atravessa a membrana transplacentária, ou seja, não deve ser consumida por gestantes. Ao menos 80% dela é absorvida e excretada de forma inalterada, em aproximadamente 24 horas.

Aspartame

Cerca de 59 vezes mais doce do que a sacarina, é amplamente utilizado pela indústria alimentícia no Brasil. Não deve ser consumido por gestantes ou portadores de fenilcetonuria. Fornece 4 kcal por grama consumida. Não pode ser aquecido, ou seja, não deve ser usado em receitas. É muito comum entre os adoçantes mais econômicos vendidos no mercado.

Acessulfame-K

Amargo, quando é encontrado para a venda, na maioria das vezes, está associado a outros adoçantes como sacarina ou ciclamato. O seu uso é frequente na panificação e enlatados.

Taumatina

Ainda é mais difícil de ser encontrado, pois não faz muito tempo que foi liberado pela ANVISA. Retirado de uma fruta africana (Thaumatococcus daniellii), consegue adoçar 1600 vezes mais doce que a sacarose. Muito caro, pois foi patenteado por uma empresa inglesa.

Viu quantas opções de adoçante você tem? Qual achou mais interessante? Já usa algum? Conte pra gente nos comentários! 

 


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *