Lembrar de pagar as contas, trabalhos a fazer, tarefas de casa, senhas de todos os tipos, contar fatos com detalhes… Afinal, como está o seu cérebro?

Dependendo da quantidade de tarefas, não é fácil conseguir lembrar de tudo, mas alguns fatos indicam se o seu cérebro está saudável ou não. E a solução para preservar ou melhorar o desempenho do cérebro pode estar em mudanças simples de hábitos.

Neste sentido, a Organização Mundial da Saúde (OMS) fez um chamado de atenção à população para que tome medidas preventivas.

Veja então alguns sinais relacionados com a saúde cerebral!

Alimentação rica em ômega 3

A ideia de que nosso cérebro é sensível ao que ingerimos parece estar cada vez mais infiltrada nos consultórios médicos e, claro, de nutricionistas. Ao mesmo tempo em que dietas equilibradas favorecem a saúde do coração, o mesmo acontece com nosso cérebro.

O ômega 3 é um precioso ácido graxo que promove a saúde cardíaca e cerebral. O nosso cérebro é formado por muitos ácidos graxos, e os do tipo ômega 3 são benéficas para pessoas em várias fases da vida. Estudos científicos vêm comprovando os benefícios do ômega 3, especialmente para a memória espacial e para quadros de doenças degenerativas, como o Mal de Alzheimer.

As fontes primárias dessas gorduras promotoras de saúde são peixes como salmão, atum, anchovas, sardinhas e outros peixes de água salgada. É recomendável comer peixe no mínimo três vezes por semana. Os óleos de oliva, linhaça e canola também são bons recursos de alimentos ricos em ômega 3. Caso esse importante nutriente não esteja suficiente na sua dieta, é possível consumi-lo em suplementos alimentares.

 

Exercitar o cérebro

Os “esquecimentos” começam a se manifestar, geralmente, a partir dos 50 anos. Além do fator idade, esse problema pode ser causado por ocupações excessivas em casa, por estresse no trabalho, por problemas financeiros e por um sono de baixa qualidade.

Sendo assim, realize diariamente atividades que faça você relaxar como ouvir música, fazer aulas de dança, Yoga ou Pilates, academia, corrida, ver filmes, etc.

Quanto mais você usar a mente, melhor, porque mantém o cérebro ativo. Um cérebro menos utilizado não tem a mesma agilidade, e a sua desenvoltura cai. Portanto, estude, leia, use a criatividade. Até jogos e palavras-cruzadas colaboram. Mantenha-se ativo!

Relaxar

Os efeitos de altos níveis do hormônio do estresse, o cortisol, podem significar um fator de risco para o declínio cognitivo e o surgimento de algumas doenças neurológicas, como o mal de Alzheimer.

Reagir com clareza e tranquilidade aos acontecimentos diários e tomar as decisões conscientemente são fatores que demonstram a saúde do seu cérebro. Não se renda ao estresse e não acredite na máxima de que o cortisol melhora sua capacidade produtiva. Deixe que ele atue nos momentos que você precisar: durante o trânsito, fuga de algum perigo real, grandes emoções, etc.

Um cérebro saudável é aquele capaz de raciocinar diante de fatos e não se deixar guiar somente pelas emoções.

Atividade física e equilíbrio postural

A atividade física e a postura também nos dizem muito sobre a saúde do nosso cérebro. A dificuldade em se equilibrar ou em manter a coluna ereta por segundos seguidos podem demonstrar um “mau funcionamento” das estruturas cerebrais responsáveis pelo equilíbrio do corpo.

Formas de melhorar o equilíbrio postural? Atividade física, exercícios ou terapias que estimulem o posicionamento correto da coluna e que, sim, trabalham o cérebro. Entre eles podemos citar a Yoga, Pilates, Reeducação Postural Global (RPG) e Tai Chi Chuan.

A atividade física traz bem-estar, deixa a pessoa menos ansiosa e trabalha condições importantes do cérebro, porque é um exercício mental. É fundamental colocar o corpo em ação ao menos 30 minutos por dia. Vale exercícios leves, como caminhada.

Um estudo recente do Reino Unido, diz que a memória de curto prazo melhora 20% ao passear pela natureza ou apenas olhar a imagem de uma paisagem verde. Que tal suar a camisa ao ar livre?

Noites tranquilas de sono

Hoje você acordou descansado e com a sensação de que o dia será muito produtivo? Ponto para a saúde cerebral! Noites bem dormidas significam redução na degeneração das células cerebrais e, claro, um dia relaxado!

Dormir menos que o necessário ou mal causa impacto no desempenho intelectual, na memória e na concentração. Um adulto, em média, precisa de sete a oito horas de sono por dia. Mas, dependendo da pessoa, o período pode ser maior ou menor.

Estipule um horário para deitar e dormir, e certifique-se de que fará isso todas as noites. Dormir sempre no mesmo horário cria um hábito saudável.

Estilo de vida saudável

O nosso estilo de vida pode prejudicar ou proteger a nossa função cerebral acelerando ou prevenindo a diminuição de memória, Alzheimer e outras demências.

O estilo de vida saudável não está associado apenas a vida social, mas também aos hábitos durante a jornada de trabalho. A sua movimentação no trabalho é fundamental para a saúde cerebral. Permanecer sentado muitas horas seguidas pode desfavorecer as áreas cerebrais ligadas à memória. Não que um fato esteja relacionado diretamente ao outro. Mas acontece que um estilo de vida sedentário, e isso inclui como é no seu trabalho, favorece o ganho de peso e este sim está diretamente relacionado à diminuição das estruturas do cérebro relacionadas ao aprendizado.

Na dúvida, alongue-se, mexa as pernas, estique os braços e relaxe os ombros e pescoço, mesmo quando estiver sentado. Faz mais de meia hora que está sentado? Levante-se, beba um copo de água e volte renovado ao trabalho!

Ah, você já faz tudo isso? Ótimo! As chances de seu cérebro continuar saudável são enormes!

Como anda sua saúde cerebral? Deixe um comentário para nós!

colagenos

Categorias: Saúde Mental

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *