Artrite é o termo geral utilizado para as condições que causam a inflamação das articulações e dos tecidos ao redor. As articulações são os locais do corpo onde os ossos se encontram, como os joelhos, dedos, pulsos, dedos dos pés, das mãos e quadris. Existem diversos tipos de artrite, mas os mais conhecidos são a osteoartrite e a artrite reumatoide (AR).

Conheça a seguir como se tratar da artrite de maneira natural!

Qual é a diferença entre a osteoartrite e a artrite reumatoide?

Na verdade ambas são formas de artrite, entretanto, apresentam algumas diferenças.

A Osteoartrite, também conhecida como a osteoartrose, é definida pela Sociedade Brasileira de Reumatologia como a forma mais comum de artrite, afetando milhões de pessoas em todo o mundo, principalmente os indivíduos de idade mais avançada. Se manifesta predominantemente em regiões articulares como mãos, joelho e nas articulações coxofemural. A doença se caracteriza pelo desgaste da cartilagem na articulação, e provoca alteração na estrutura dos ossos, como os osteófitos, também conhecidos como “bico de papagaio”.

A doença ocorre quando a cartilagem protetora nas extremidades de seus ossos se desgasta com o tempo. Não há cura para a osteoartrite e as dores podem aumentar com o tempo, mas manter-se ativo, com peso saudável, dieta equilibrada e agregar tratamentos naturais podem retardar a progressão da doença e ajudar a melhorar a dor e a função articular.

Por sua vez, de acordo com a Sociedade Brasileira de Reumatologia, a artrite reumatoide é uma doença inflamatória autoimune que afeta principalmente as articulações dos dedos das mãos e punhos, podendo ocorrer também em cotovelos, ombros, joelhos, pés e tornozelos. A causa da doença é desconhecida, e afeta duas vezes mais mulheres que homens. Os sintomas mais comuns são: dores, edema, calor e vermelhidão, e provocam rigidez matinal, fadiga, e destruição da cartilagem, a longo prazo.

Ter uma doença autoimune significa que o organismo libera enzimas que atacam seus próprios tecidos saudáveis. No caso da AR, essas enzimas destroem o revestimento das articulações, provocando dor, inchaço, rigidez, deformação e redução dos movimentos e funções articulares.

O que fazer para amenizar os sintomas?

Uma alimentação rica em nutrientes certos e equilibrada é muito importante para os pacientes portadores de qualquer tipo de artrite. Os nutrientes ajudarão não somente a retardar a progressão da inflamação, mas também a chegar a um peso saudável, um dos pontos fundamentais para melhorar os sintomas da doença. Com a perda de apenas alguns quilos, o paciente já será capaz de perceber e sentir uma diferença significativa no aumento da qualidade de vida.

Existem alguns alimentos que devem ser evitados, como aqueles potencialmente inflamatórios tais quais a carne vermelha, açúcar refinado, sucos industrializados refrigerantes, massas e pães de farinha branca.

Os alimentos que farão diferença para melhorar naturalmente a inflamação das articulações são as frutas cítricas, proteínas magras, vegetais de coloração verde escura, nozes, amêndoas, castanhas, linhaça, legumes, grãos integrais, e alimentos ricos em ômega 3 (sardinha, atum, truta, arenque, chia e linhaça).

Tanto a osteoartrite quanto a AR costumam se manifestar junto com a osteoporose. Assim, inclua na sua rotina alimentos fonte de cálcio (folhas verde escuras, gergelim, leite e derivados, amêndoas, feijão, grão de bico, nozes), e lembre-se garantir a vitamina D, tomando sol pelo menos três vezes na semana nos horários seguros (antes das 10h e depois das 16h), ou através de suplementação alimentar. São nutrientes que fazem parte do metabolismo do osso. Seu médico pode avaliar se há necessidade de suplementação para assegurar a saúde óssea.

artrite

Qual a importância do ômega 3?

O ômega 3 é um tipo de gordura especialmente importante para a artrite por causa de sua ação anti-inflamatória, assim como o tipo ômega 6, presente em óleos vegetais. No entanto, o excesso de ômega 6 tem ação contrária, potencializando a inflamação. Isso acontece pois esses dois compostos começam a interagir em sobreposição, e precisam estar em equilíbrio para que executem suas funções corretamente.

Existem três tipos de ácidos graxos (obtidos pela quebra de moléculas de gordura), os ácidos graxos saturados, os monoinsaturados, e os poli-insaturados. O ômega 3 é um ácido graxo poli-insaturado essencial (que são aqueles que o corpo não é capaz de sintetizar, sendo sua obtenção somente possível por meio da alimentação e de suplementos).

Existem ainda três ácidos que formam o ômega 3, a saber: o ácido alfa-linolênico (ALA), que é encontrado em óleos vegetais, como o de nozes e o de linhaça, e os ácidos eicosapentaenoico (EPA), e docosahexaenoico (DHA), que são encontrados em animais marinhos, como o peixe.

Algumas sugestões de doses são: consumir um filé de peixe (200 gramas), duas vezes por semana, e até 2 colheres de sopa de óleo de girassol utilizadas nas preparações é o ideal. Suplementos de ômega 3 também são uma boa estratégia para quem não consegue atingir essa recomendação.

Existem suplementos específicos para a artrite?

A glucosamina e a condroitina são duas substâncias utilizadas no alívio das dores das artrites. A glucosamina participa como substrato de compostos presentes nas cartilagens (glicosaminoglicanos, proteoglicanos e hialuronato) e age no condrócito (células do tecido cartilaginoso) estimulando a formação dos proteoglicanos. A condroitina é um glicosaminoglicano encontrado em vários tecidos, estimulando a produção da cartilagem. Seu uso sinérgico promove redução dos sintomas, melhorando a qualidade de vida do indivíduo.

O colágeno não desnaturado do tipo II também é bastante aplicado para ajudar na saúde das articulações. É derivado da cartilagem de frango, e possui processo de fabricação patenteado, baseado em uma reação não-enzimática, que o ocorre à baixas temperaturas, garantindo a obtenção de um colágeno puro, com estrutura molecular inalterada, e sem alterações em suas atividades biológicas. Por ser uma proteína que faz parte das cartilagens, ela é recomendada para estimular a reposição nesse local, e pode ser encontrada no mercado em produtos, como o UC-II®.

Mudanças no estilo de vida sempre são excelentes para qualquer pessoa. Modificações na alimentação e a inclusão de suplementos no dia a dia podem ser avaliados por um nutricionista. Lembre que o acompanhamento de um profissional especializado é fundamental e indispensável para garantir a melhor forma de tratamento e para determinar o procedimento adequado para esse.

Você possui artrite? Qual tipo e o que faz para melhorar? Conte para a gente!

envelheça com saúde

 


1 comentário

Como tratar dores articulares com remédios naturais - BS Pharma · 17 de julho de 2017 às 17:52

[…] Se você sofre de artrite, conheça algumas outras formas naturais para tratá-la. […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *