Até pouco tempo as funções da vitamina D eram pouco comentadas, tão pouco os malefícios da falta de vitamina D. Seus maiores benefícios eram para os ossos, ajudando na fixação do cálcio, evitando o raquitismo em crianças. De dez anos para cá esse conceito mudou – e muito.

De acordo com estudos recentes, baixos níveis e falta de vitamina D durante a gravidez significam problemas futuros para o bebê. Para os idosos, ela combate a osteoporose e reduz os efeitos do Alzheimer. Em indivíduos com tendência a desenvolver doenças cardiovasculares, como o diabetes tipo 2, garantir o estoque da vitamina é essencial.

A vitamina D também mostrou capacidade de regular o crescimento celular, evitando o câncer, e de estimular nosso sistema imunológico, diminuindo o risco de infecções e de alergias. Além disso, segundo o endocrinologista americano, Michael Holick, grande estudioso da vitamina D, ela relaciona-se com pelo menos 2.000 genes, direta ou indiretamente, mostrando sua importância na regulação de genes patogênicos1.

Por essas e outras, poucas vitaminas mostraram-se ser tão fundamentais ao organismo quanto a vitamina D. Conheça a seguir os benefícios da vitamina D e os malefícios da falta de vitamina D.

Benefícios da vitamina D e malefícios da falta de vitamina D

A vitamina D3, também conhecida como colecalciferol, regula o metabolismo do cálcio e do fósforo. Sua principal função está na capacidade de regular a homeostase do cálcio e do fosfato, mantendo seus níveis adequados, o que é indispensável ao processo de mineralização óssea normal. Ela mantem as concentrações de cálcio e fosfato normais, facilitando sua absorção no intestino delgado, potencializando sua mobilização nos ossos e diminuindo sua excreção renal.

Em nosso organismo vitamina D3 se combina ao cálcio e à vitamina K2, que são elementos essenciais para a obtenção de ossos densos, fortes e saudáveis. Além disso, evidências recentes também sugerem o envolvimento dessa vitamina em diversos processos celulares vitais, como: diferenciação e proliferação celular, secreção hormonal, assim como no sistema imune, através de suas ações no intestino, rim, ossos e glândulas paratiroides.

Evidências recentes também relacionam a vitamina com diversos processos celulares vitais, tais quais: diferenciação e proliferação celular, secreção hormonal, assim como no sistema imune e em diversas doenças crônicas não transmissíveis, através de suas ações no intestino, rim, ossos e glândulas paratiroides.

Veja melhor como ele pode melhorar sua qualidade de vida:

Absorção do cálcio

A vitamina D (ou colecalciferol) é um hormônio esteroide, cuja função muito conhecida é controlar os níveis de cálcio no corpo, ajudando a reabsorver e fixar o mineral nos ossos. Mas ela não atua por si só: ela depende da interação entre as paratireoides, os rins e o intestino.

A deficiência grave de vitamina D prejudica a mineralização óssea, levando ao raquitismo em crianças, e à osteomalacia em crianças e adultos. Embora concentrações séricas dentro dos valores de referência normais ainda sejam aceitáveis, este quadro pode levar à redução do cálcio ionizado no sangue (calcemia), resultando em hiperparatireoidismo secundário, perda óssea e osteoporose.

Os nutrientes, cálcio e vitamina D, atuam de forma conjunta e, em uma suplementação, por exemplo, devem vir juntos. Às gestantes, esse cuidado deve ser ainda maior. É necessário acompanhar durante a gravidez os níveis de vitamina D e ingerir alimentos fontes de cálcio, ou suplementar quando preciso, sempre sob orientação médica.

Manter o equilíbrio garantirá a saúde dos ossos e dos dentes e fortalecimento do sistema imunológico ao bebê desde o momento do nascimento.

Prevenindo o diabetes mellitus

A vitamina D também pode prevenir o Diabetes mellitus do tipo II. De acordo com o Dr. Mateus Dornelles Severo, em um artigo para a Sociedade Brasileira de Diabetes, através da revisão cuidadosa de 21 estudos, fica clara a relação entre menores níveis da vitamina com o surgimento da doença. Alguns estudos ainda afirmam que a falta de vitamina D em crianças está diretamente associada ao diabete mellitus do tipo I, e também demonstram que crianças com taxas saudáveis desse hormônio apresentam menor recorrência da doença.

Entretanto, ainda são necessários estudos mais profundos e específicos para comprovar tal propriedade da vitamina D.

Fortalecimento do sistema imunológico

Outro benefício da vitamina D está em fortalecer o sistema imunológico. Isso acontece por sua capacidade em regular e formar novas células de defesas, prevenindo gripes, resfriados, alergias e até mesmo o câncer. Doenças autoimunes também podem ser prevenidas ou controladas.

Sabe-se que a artrite reumatoide, doenças inflamatórias intestinais e esclerose múltipla estão fortemente relacionadas com a deficiência ou baixos níveis da vitamina. Além disso, é sabido que a falta de nutrientes pode levar a doenças, e devem ser suplementadas por inclusão de certos alimentos na dieta, ou através de suplementação. No entanto, sempre devem ser orientadas e acompanhadas por um médico.

Como obter a vitamina D?

Segundo o Ministério da Saúde, para garantir a produção de vitamina D, é fundamental a exposição ao sol de 15 a 20 minutos, no mínimo três vezes por semana, nos horários seguros (até às 10 horas da manhã e depois das 16 horas). Outra opção é se assegurar que o organismo está recebendo as quantidades necessárias de Vitamina D através da alimentação. Alguns alimentos ricos no nutriente são peixes (atum e sardinha) e ovos. Além disso, o hormônio pode ser encontrado em forma de suplementação. No mercado existem a opção em cápsulas ou em gotas.

Depois do “banho de sol” e da ingestão de alimentos, até se transformar na forma ativa da vitamina, ela passará por várias etapas de modificação. Uma vez na pele, ela segue para o fígado e depois para os rins, até ser convertida em sua forma ativa e distribuída para os órgãos que apresentam receptores para a vitamina: cérebro, intestino, próstata, mamas, gônadas, células imunológicas, entre outros.

Vale a pena ressaltar que nenhuma orientação deve ser seguida sem antes consultar seu médico. Algumas pessoas podem apresentar problemas de pele que as impeçam de seguir essa recomendação do Ministério da Saúde. Converse com seu médico ou nutricionista e verifique se seus níveis de vitamina D estão adequados, e qual a melhor forma de mantê-los na média.

 

PROTEÇÃO SOLAR


2 comentários

Tratamentos alternativos contra a osteoporose - BS Pharma · 28 de julho de 2017 às 11:41

[…] adotar algumas dicas para prevenir a osteoporose, como ter uma alimentação equilibrada e rica em vitamina D e cálcio, investir em proteínas, em suplementos, mas quando a doença já se manifestou, é […]

Como tratar dores articulares com remédios naturais - BS Pharma · 7 de agosto de 2017 às 18:00

[…] cálcio e vitamina D atuam de forma conjunta, e devem ser suplementados em conjunto, caso não haja um consumo adequado […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *